PUBLICIDADE

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Alunos da CDE 4 fazem manifestação ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual


Nesta sexta-feira (19), as Escolas Estaduais São Luiz Gonzaga, Marquês da Santa Cruz, Olavo Bilac e Pedro Silvestre, da zona oeste de Manaus, realizaram uma manifestação em alusão ao Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, comemorado o último dia 18 de maio.  Com faixas, cartazes e gritos de guerra, o objetivo foi mobilizar a sociedade brasileira e convocá-la para o engajamento contra a violação dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. As unidades escolares fazem parte da Coordenadoria Distrital de Educação 4, pertencentes à Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc).

Os alunos, dos Ensino Fundamental 1 e 2 ressaltaram a importância quanto aos cuidados que devem ser tomados para evitar o abuso e a exploração sexual, pois pode causar traumas que permanecem por muitos anos.

A campanha tem como símbolo uma flor, como uma lembrança dos desenhos da primeira infância, além de associar a fragilidade de uma flor com a de uma criança. O desenho também tem como objetivo proporcionar maior proximidade e identificação junto à sociedade e com a causa.  

De acordo com o professor de educação física, João Campos, o evento teve como objetivo alertar a comunidade, alunos e pais quanto aos cuidados que se deve ter com os filhos. “Nós, como mestre da educação, temos a obrigação de começar a fazer essa corrida de conscientização para o melhor dos nossos alunos”, ressaltou.

O slogan "Faça Bonito - Proteja nossas crianças e adolescente" quer chamar a sociedade para assumir a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra crianças e adolescentes no Brasil.

A violência sexual pode ocorrer de duas formas distintas. Abuso sexual é qualquer forma de contato e interação sexual entre um adulto e uma criança ou adolescente, em que o adulto, que possui uma posição de autoridade ou poder, utiliza-se dessa condição para sua própria estimulação sexual, da criança ou adolescente, ou ainda de terceiros, podendo ocorrer com ou sem contato físico. 

Sobre a data - O dia 18 de maio mantém viva a memória nacional de um crime bárbaro que chocou o Brasil em 1973. Com apenas oito anos, a pequena Araceli Cabrera Sanches foi sequestrada, depois drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. O caso foi tomando espaço na mídia e seu desfecho escandaloso seria um símbolo de toda a violência que se comete contra as crianças, reafirmando a responsabilidade da sociedade brasileira em garantir os direitos de todas as suas correntes e medos que aflige a população.