PUBLICIDADE

terça-feira, 9 de maio de 2017

Amazonense conquista prata no Pan-Americano de Wrestling, e se classifica para o Mundial

Foto: Mauro Neto/Sejel
O amazonense David Moreira deixou sua marca no Pan-Americano de Wrestling 2017, realizado em Lauro de Freitas, na Bahia, no último final de semana. O atleta faturou a medalha de prata na categoria até 61kg do estilo livre e, com o resultado, ele conquistou vaga para o Campeonato Mundial, que ocorre em agosto, na França. O jovem é atleta do Centro de Treinamento de Alto Rendimento da Amazônia (Ctara), na Vila Olímpica de Manaus (Dom Pedro), e recebe apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

O feito de David entra para a história, uma vez que o Brasil não conquistava um pódio no estilo, em pan-americanos, desde 2011, quando Antoine Jaoude também ficou com o segundo lugar na edição de Rio Negro, na Colômbia. Aos 19 anos, essa foi a estreia do lutador baré em competições internacionais da categoria Sênior e para chegar forte no Pan ele investiu nos treinos e aproveitou o intercâmbio em Manaus com atletas venezuelanos. Além do mais, trabalhou bastante o psicológico e apesar de enfrentar potências, conseguiu manter o foco e chegar ao tão sonhado pódio.

“Fiquei muito feliz em conquistar esta medalha, que teve um gostinho de ouro. Foi algo bastante esperado, pois além do meu desejo, fazia bastante tempo que o Brasil não conseguia este resultado. Graças a Deus eu consegui e é uma alegria poder presentar o meu País e meu Estado desta maneira. Fiz o meu melhor”, destacou Moreira, que fez três lutas pelo Pan. A primeira foi contra o Chile, na segunda pegou um atleta da República Dominicana e na final enfrentou um cubano, principais nomes do esporte mundial.

Ainda segundo David, o trabalho agora será ter bons resultados no Mundial Sênior e no Campeonato Brasileiro, este último que acontece dia 27 de maio, no Rio de Janeiro. Para tanto, conta com os mestres Waldeci Silva e Dagoberto Arbolaez, técnicos que vem traçando um caminho vitorioso para o Amazonas. Não à toa, emplacaram no Pan-Americano, pela primeira vez, cinco atletas da terrinha baré.

“Eu cheguei em Manaus e não tenho descanso, já começo uma maratona de treinos na Vila Olímpica, visando as próximas competições, e principalmente o ouro. O Mundial, por exemplo, me dá um frio na barriga, pois disputei ele quando era da categoria Junior, em 2015, no Rio de Janeiro. Agora a realidade é diferente, sou de uma categoria bem mais difícil, e a disputa será no exterior. É bastante responsabilidade, mas encarada com dedicação”, disse.

Para o técnico e presidente da Federação Amazonense de Luta Livre Esportiva (Falle), Waldeci Silva, a ideia é continuar emplacando cada vez mais os atletas amazonenses nas principais competições locais e nacionais, e assim estar entre as potências. “O caminho já está muito bom e agora vamos atrás de mais, de evoluir e escrever cada vez mais histórias. Nossos atletas são ótimos e tem uma garra que muitos não tem. Por isso, ficamos orgulhosos com o resultado do David, a torcida foi grande, e tudo isso que a gente está vivendo, desde receber atletas de outros países na Vila, até treinamentos fora, e competições de porte grande, são o caminho para a gente almejar vaga nas Olimpíadas, pois o ciclo já começou”, frisou.

Brasil fecha Pan com 7 medalhas
O Brasil fechou o Pan-Americano de Wrestling com o saldo de sete medalhas. Além do triunfo de David, atletas de outros estados contribuíram com a Seleção, como os medalhistas de prata Joílson Júnior até 66kg, Aline Silva até 75kg e Dailane Gomes até 69kg. Os lutadores Ângelo Moreira até 75kg, Davi Albino até 98kg e Caroline Soares até 48kg ficaram com a medalha de bronze. No total, 213 atletas distribuídos em 22 diferentes países disputaram a competição.