PUBLICIDADE

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Eduardo Braga critica exoneração de presidente da Suframa, Rebecca Garcia

 O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) reprovou em Plenário nesta quinta-feira (25) a decisão do presidente da República, Michel Temer, de exonerar a presidente da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), a deputada Rebecca Garcia (PP-AM).

Ela foi exonerada do cargo na última terça-feira (23), mesma data em que foi aprovado em Plenário o Projeto de Lei de Conversão (PLV) 13/2017, que cria duas novas taxas a serem cobradas pela Suframa.

— Nós vemos, no dia seguinte [à aprovação do projeto], a demissão da deputada Rebecca, sem nenhuma comunicação, sem nenhum diálogo, sem nenhuma explicação a um polo industrial que representa 2% do PIB brasileiro e que representa, nada mais, nada menos, do que 7% do PIB industrial brasileiro – declarou o senador.
O peemedebista defendeu não haver nenhuma explicação para a demissão da presidente a não ser uma nova indicação política para o cargo. Rebecca Garcia exercia o cargo de superintendente desde outubro de 2015.
Reforma
Eduardo Braga comentou também sobre a reforma trabalhista em tramitação no Senado (PLC 38/2017). Apesar de defender a necessidade de modernização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), ele destacou que a reforma afeta os direitos dos trabalhadores.
— Em 2010, quando eu deixei o governo (Braga foi ministro de Minas e Energia do governo Dilma), eram 135 mil trabalhadores que são obrigados a sair de casa às 4h da manhã para poder pegar a rota que os leva até o distrito industrial e sair da indústria às 5h da tarde, muitas vezes para ir a uma escola. Vimos agora uma reforma trabalhista que quer dar a este trabalhador mudanças como ter apenas meia hora para o almoço. Numa fábrica que, muitas vezes, tem 10 mil metros quadrados só de linha de produção, talvez esse tempo não seja suficiente sequer para chegar ao refeitório — disse.