PUBLICIDADE

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Hacker consegue dinheiro após clonar celular do deputado federal Hissa Abrahão

 O deputado federal Hissa Abrahão (PDT), informou em nota enviada por sua assessoria, que teve seu celular clonado por um hacker há aproximadamente duas semanas e que o mesmo, obteve dinheiro das pessoas se passando pelo parlamentar. 
 
Nota de Esclarecimento 
 
O deputado federal Hissa Abrahão, presidente estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT), vem a público esclarecer que foi vítima de um golpe virtual. O parlamentar informa que há, aproximadamente, duas semanas um “hacker” clonou o seu aparelho telefônico de número (092) 99152-7939, fingiu ser o parlamentar e aplicou golpes em transações bancárias.
 
Na ocasião, o infrator utilizando-se do aplicativo WhatsApp, invadiu grupos de trabalho do deputado e solicitou das vítimas que transferissem uma quantia em valor para que o mesmo dinheiro fosse transferido no dia seguinte, com a justificativa de que o limite diário de transferência tinha excedido.
 
Hissa destaca que os funcionários e mais alguns amigos chegaram a realizar a transação pensando em estar falando com ele. O infrator repassou às vítimas o número de uma conta bancária que não é de propriedade do parlamentar. Desatentas, as pessoas transferiram o dinheiro sem perceber que não constava o nome de Hissa Nagib Abrahão Filho.
 
O golpe só veio à tona na manhã desta quinta-feira (11) quando o deputado se deparou com ao menos quatro pessoas cobrando o valor das transferências. Hissa Abrahão salienta que não recebeu nenhuma transferência em sua conta bancária.
 
O parlamentar amazonense informou que seu advogado Júlio Lorenzoni está tomando as providências necessárias e que o caso é investigado pelo delegado Guilherme Torres, chefe do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). Ele pede a quem recebeu mensagens pelo número (092) 99152-7939 que não responda e denuncie o caso à polícia. A quem foi vítima, Hissa solicita que o cidadão se dirija ao DRCO, que fica na sede da Delegacia Geral da Polícia Civil, bairro Dom Pedro, Zona Oeste, para denunciar o caso.