Helderson Filhão participará de campeonato inédito para surdos no RJ


 O atleta surdo que iniciou a sua carreira aos 12 anos de idade, hoje com seus 29 anos recentemente completos, “Helderson Filhão”, o competidor na categoria faixa preta, coleciona 23 vitórias quase todas vencidas por finalização nos seus adversários, e irá à convite da Sport Jiu-Jitsu South American Federation, participar do Open Brasil Jiu-Jitsu – o primeiro campeonato brasileiro da modalidade Jiu Jitsu para surdos da história, que ocorrerá Grajaú Country Club, na cidade do Rio de Janeiro, no próximo dia 6 de maio.
 
Filhão irá como único atleta para representar o Amazonas na categoria faixa preta, sendo um dos sete atletas surdos brasileiros que irão participar do circuito 2017 que irá abranger da categoria faixa branca à preta. No próximo dia 5 de maio, Filhão partirá de Manaus e na cidade maravilhosa se reunirá com outros dois competidores que já embarcaram são Fernando Silva (30 anos) e Josiano dos Santos (33 anos), ambos são da categoria da faixa marrom, o trio representa a academia EnerGym Fitness - Nova União. 
 
Os que vencerem o Open Brasil Jiu-Jitsu 2017 disputarão o campeonato mundial que acontecerá na Flórida nos Estados Unidos sem definição de data. 
 
Além de Jiu-Jitsu o atleta se dedica ao MMA (Mixed Martial Arts) mais uma modalidade esportiva e que faz questão de divulgar para comunidade de surdos, no qual pertence à categoria dos 79kg.
 
De todas as competições que Filhão participou essa pode ser considerada a chance de vencer para os surdos e pelos surdos. “Os surdos que conhecem minha história sabem as dificuldades que vivi, não apenas por ser atleta, mas pelas falta de confiança que não tive como lutador com deficiência como a minha, que mesmo assim não desiste. Mas hoje com apoio do meu professor Fernando Barros, queremos mostrar que é possível, um atleta amazonense e com surdez é capaz de trazer um título inédito para que outros surdos tenham o incentivo que eu desejo e seguir carreira”, lembra Filhão ao ressaltar a falta de inclusão no esporte.
 
“Gostaria que tivesse os campeonatos para os surdos na minha cidade. A vontade de ganhar é realmente muito grande, é a primeira vez que irei ao Rio de Janeiro e espero também poder conhecer meus ídolos do esporte como José Aldo e outros. A comunidade nos apoia, espera muito de nós e queremos trazer essa vitória para fortalecer a incentivar quem quer treinar e seguir uma carreira no esporte”, finaliza o atleta.
 
Filhão tem ao todo 28 lutas em seu histórico ganhando um total de 23 adversários a maioria por finalização. Para sua irmã e empresária, Vanessa Rolim, reconhece em Filhão a determinação e disciplina nos treinos e se prepara cada vez mais, por isso, o incentiva na ida às competições dentro e fora de Manaus. “Ele já participou de várias competições pelo país, essa é a primeira que vai competir no Rio de Janeiro e em um campeonato apenas com competidores surdos, sendo a oportunidade que ele precisa para retornar de lá com a vitória nas mãos”, comemora Vanessa, ao se referir à disciplina do lutador.
 
A dedicação dos treinos as vezes ultrapassa as 12 horas por dia, o lutador já se recuperou de um problema respiratório e passou por uma cirurgia no joelho – no menisco - onde com apoio da família, da equipe da academia, amigos e da empresária e irmã e maior incentivadora, Vanessa Rolim, Filhão vem para enfrentar seus adversários nesse campeonato inédito. “No início da carreira, enfrentamos juntos as dificuldades com patrocínios e preconceitos. Hoje está preparado para competir e trazer esse título inédito para o Amazonas e todos os aqueles que são surdos”, finaliza Vanessa.

Comprtilhe no Google Plus

da Redação - Manaus/AM