Header Ads

Matança durante a madrugada em vários bairros fez a polícia trabalhar dobrado em Manaus


Um corpo jogado de dentro de um carro numa rua do bairro Santo Antônio, na zona Oeste, outro assassinado com as mãos amarradas pela própria camisa no bairro São Francisco e finalmente, dois homens fuzilados a tiros em tiroteio entre facções criminosas do bairro da Raiz, fizeram os policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) trabalharem dobrado na madrugada desta sexta-feira em Manaus.

No Santo Antônio, o homem foi jogado na Travessa que leva o mesmo nome do bairro e segundo as testemunhas, três desconhecidos, pararam o veiculo de cor escura, abriram a mala, retiraram o cadáver e jogaram no chão, antes de saírem em alta velocidade do local. A vítima trajava apenas uma bermuda azul e estava sem documento pessoal, inviabilizando sua identificação no local onde foi deixado, pelo grupo assassino.


A matança teve continuidade no bairro São Francisco, Zona Sul, onde outro homem, com pelo menos seis tiros entre a cabeça, peito e costas foi encontrado na Rua Barreirinha, por moradores que viram a vítima ser jogada de dentro de um carro, Gol, preto, mas não tiveram tempo de anotar a placa. O homem tinha idade entre 18 e 20 anos, cabelos curtos e loiros, e trajava apenas a bermuda e também foi removido para o Instituto Médico Legal sem identificação.

Um duplo homicídio foi registrado antes de amanhecer o dia, desta vez no bairro da Raiz, com uma vítima tombando com vários tiros na Ponte do Peixe, como é conhecida uma passagem de madeira que interliga dois becos. O outro homem assassinado caminhava pela Rua Independência, quando houve o confronto armado e ele tombou com tiros na cabeça, peito e nas costas, de acordo com a equipe da Delegacia de Homicídios e Sequestros.


Foram quatro assassinatos a tiros em menos de quatro horas entre as zonas Oeste e sul de Manaus, de acordo com o delegado titular da DEHS, Juan Valério. O homem morto na Rua Indepêndencia, foi identificado apelas pelo nome de “Agamenon” e o outro executado na “Ponte do Peixe” é Luiz Henrique Zaguly Feitoza, 24. As vítimas de homicídio dos bairros Santo Antônio e São Francisco, permanecem sem identificação no Instituto Médico Legal.

Para a polícia as mortes continuam sendo o resultado do “racha” que está havendo entre os líderes de facções criminosas ligadas ao tráfico de dentro e fora dos presídios. “É uma matança entre os criminosos, que pelo que já deu pra perceber, não vai parar tão cedo, e nós continuamos fazendo a nossa parte de investigar para chegar aos culpados por tantas mortes violentas e levá-los às barras da Justiça”, asseverou o delegado Juan Valério, na entrevista à imprensa.





Tecnologia do Blogger.