PUBLICIDADE

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Efeito Lava Jato faz Eduardo Braga cair seis pontos na capital


A segunda pesquisa eleitoral da #PESQUISA365 traz um cenário com nove nomes e dois cenários de segundo turno. A amostra foi novamente de 1.700 entrevistas, sendo 1.000 na capital, 123 em Parintins, 120 em Itacoatiara, 118 em Manacapuru, 93 em Coari, 75 em Tefé, 58 em Maués, 58 em Tabatinga e 55 em Humaitá. A margem de erro é de 2,4%, para mais ou para menos, com grau de confiabilidade de 95%. 
Neste novo estudo, incluímos David Almeida e retiramos os nomes de Rebecca GarciaEron Bezerra e Marcelo Serafim. Três nomes lideram a disputa da eleição suplementar para governador, empatados tecnicamente: Eduardo Braga (22,7%), Marcelo Ramos (18,6%) e Amazonino Mendes (18,5%).
Braga caiu fortemente em Manaus com as recentes delações da JBS, único motivo para explicar sua queda. O senador fica com elevadíssimo risco de sofrer uma nova derrota. Não possui mais nenhuma “gordura”. No início do ano, seus números eram superiores a 35%.
Na primeira pesquisa, na amostra estadual, Eduardo Braga estava com 24,9%. Agora, caiu para 22,7%. Em Manaus, ele detinha 20,6% e baixou para 14,5%, uma forte variação negativa de 6,1%, o que lhe deixou atrás de Marcelo (23,1%) e de Amazonino (16,9%).
No interior, Eduardo lidera com 34,4%, seguido de Amazonino com 20,9% e de Marcelo Ramos, com 12,1%. As eleições nos 61 municípios podem sofrer profundas alterações, devido aos vetores de influências atuantes sobre o voto do eleitor.
A quarta colocação é disputada por dois deputados: David Almeida (PSD), com 7,5%, e Zé Ricardo (PT) com 6,3%. O desempenho conquistado por Zé Ricardo é fruto, principalmente, do recall da sua participação como candidato para prefeito de Manaus em 2016. Quanto ao deputado estadual David Almeida, seu percentual está associado à sua alta exposição midiática no comando do governo do estado.
Na capital, Zé Ricardo ficou com 8,1% e David com 7,3%. No interior, o petista ficou com 3,7% e o governador interino com 7,9%. David pavimenta uma eleição para deputado federal, de maneira profissional.
A sexta posição é ocupada por Silas Câmara (4,6%), seguido por Chico Preto (2,7%), Wilker Barreto (2,4%) e Luiz Castro (1,8%). Os entrevistados que declararam votar em nenhum deles foram de 12,4%, e 2,5% se colocaram como indecisos.
SEGUNDO TURNO
No cenário Eduardo vs. AmazoninoBraga continua à frente de Mendes por 4,9%. Vale se destacar que essa diferença já foi de 16,6% há duas semanas. Ou seja, caiu 11,7 pontos percentuais, caracterizando agora um empate técnico.
No outro cenário, Marcelo Ramos venceria Eduardo por 41,5% a 37,6%, uma diferença de 3,9% (na primeira pesquisa Eduardo ganhava por 2,3%). Essa inversão é produto, obviamente, do efeito Lava Jato na imagem de Eduardo, entre os eleitores de Manaus.
Por isso, com base nos resultados da primeira e segunda pesquisas, tudo indica que poderá haver segundo turno. E neste momento não há favoritos, pois o cenário está bastante volátil.
Acreditamos que a grande questão para os próximos dias é a manutenção ou não da pré-candidatura de Marcelo Ramos.  Caso este não seja confirmado como candidato, caminhamos para uma polarização, inicialmente, entre Eduardo e Amazonino. E está claro que Amazonino se consolidou, ao ponto de inviabilizar as pretensões de David Almeida.

Entrevistas: 1.700









Fonte: #PESQUISA365.
 

Clique aqui para visualizar o relatório completo