PUBLICIDADE

terça-feira, 13 de junho de 2017

Estudante é encontrada com sinais de estrangulamento no Tarumã

Foto: Facebook
O cadáver da estudante Brenda da Mota Dantas, 21, foi encontrado boiando no igarapé da Prainha, bairro do Tarumã, Zona Oeste, no final da manhã desta segunda-feira, 13. O perito do Instituto de Criminalística confirmou que ela tinha sinais de estrangulamento no pescoço e outras marcas de violência física em outras partes do corpo.

A principal suspeita recai sobre um presidiário do regime semi-aberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), identificado pelo nome de “Galerito”, é o suspeito número 1 do crime. Ele foi visto levando a estudante na última sexta-feira, em um carro vermelho, ocupado por outras pessoas que as testemunhas não identificaram.

A dona de casa, Vera Lúcia da Mota, 43, mãe de Brenda, disse que iria com os amigos para uma chiperia no bairro do Coroado, na Zona Leste de Manaus. A estudante, não retornou mais para casa, foi dada como desaparecida e nesta segunda-feira foi encontrada morta no igarapé da Prainha.

Muito abalada, amãe da estudante também confirmou que a filha tinha um relacionamento amoroso com o presidiário do regime semi-aberto com quem foi vista pela última vez com vida. Bastante triste com a morte trágica de Brenda, a mãe disse que a estudante não usava droga e só gostava de dançar muito sempre que saía para se divertir.

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros, vai investigar o caso a partir de depoimentos da mãe da estudante e de outras pessoas. Um laudo do Instituto Médico Legal (IML), deve confirmar se a jovem tinha drogas no corpo e se foi estuprada antes de ser estrangulada e jogada no lago.



Nenhum comentário:

Postar um comentário