Header Ads

Manaus FC conquista título inédito pelo Campeonato Amazonense de Futebol

Fotos: Antônio Lima/Sejel
 A Arena da Amazônia conheceu na tarde deste sábado, dia 10, o campeão da 101º Amazonense Série A 2017. Em um jogo disputado, o ainda ‘novinho’ Manaus FC venceu o centenário Nacional e conquistou seu primeiro título do Estadual, após empate em 1 x 1 no jogo de volta, uma vez que no jogo de ida o Verdão havia marcado 1 a 0 em cima do Leão. Negueba balançou a rede para o Gavião aos 22 minutos do primeiro tempo e no finalzinho da segunda etapa Jefferson Siqueira descontou. A temporada de competições recebeu apoio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

O técnico Aderbal Lana, que assumiu o time no meio da competição, agradeceu a todos que acreditaram em seu trabalho e festejou a conquista, bem como seu nono título pela competição. “Gostaria de agradecer a diretoria, aos jogadores e principalmente ao Igor (Cearense), que começou um trabalho e os méritos é de todos nós. O projeto deu certo e fomos agraciados com esse título. Fizemos história”, disse Lana.

Para o comandante do Naça, Arthur Bernardes, que assumiu o time em fevereiro, o segundo lugar não foi tão amargo, uma vez que a classificação superou a expectativa do clube. “O Nacional foi além do que era para ir, pois a previsão era para ele não cair. Chegamos aqui para começar um trabalho que já estava em andamento, contratar alguns jogadores, eu não conhecia os atletas daqui, trouxe dois, e foi um desafio muito grande e a gente correspondeu. Tivemos uma boa classificação, foi uma infelicidade a perda, e o pênalti foi um momento decisivo. Não era para ser, é assim mesmo”, disse Arthur.

O jogo

Precisando do resultado, o Nacional foi pra cima e tomou as primeiras ações do jogo, especialmente pelo lado direito com investidas de Peter e Charles, mas não foram eficientes. Já o time do Manaus apostava nos contra-ataques, deixando o Naça com a posse de bola. Com tanta insistência, deu resultado.

Aos 17, Peter avançou na área e numa disputa com o zagueiro Élton, caiu na área e o árbitro marcou pênalti. Alexsandro chamou a responsabilidade, partiu para a cobrança e jogou a bola para fora. Alegria para a torcida do Manaus que estava atrás do gol da meta do goleiro Jonathan, que ainda foi no mesmo canto e comemorou muito a chance desperdiçada pelo Nacional. E o ditado de quem não faz, leva, aconteceu na partida. Aos 22, falta para o Manaus, Negueba cobra, a bola quica e o goleiro Marcelo aceita. Um a zero para o Gavião do Norte para o delírio da torcida e balde de água fria para a torcida e o time do Nacional.

No segundo tempo, o Nacional foi para o tudo ou nada, com cruzamentos, lançamentos e arremates de fora da área. Com isso, deixava espaços para o time do Aderbal Lana que investiu em ataques rápidos, mas errava na conclusão das jogadas. Nos acréscimos, o Nacional empatou com zagueiro Jeferson e colocou fogo no jogo, mas não foi suficiente. Fim de jogo e história para o futebol do Amazonas.

“Graças a Deus, fui muito feliz na cobrança de falta e ajudei minha equipe a fazer história. Nossa equipe estava muito focada neste jogo, o Nacional é um time muito forte, mas humildemente chegamos aqui na Arena e conseguimos o título. Manaus é novo, mas agora é grande”, comemorou Negueba, que foi parabenizado por toda a torcida no fim do jogo.

Após ficar fora do primeiro jogo na última terça-feira, 6, na Arena da Amazônia, Hamilton teve motivos de sobra para comemorar o segundo duelo das finais do Amazonense. Reintegrado ao elenco do Verdão, o meia-atacante ganhou o dia após uma conturbada semana. “Estou muito feliz por esse título. A equipe está de parabéns, ganhamos com união. Agora vamos ver o que vai vir pela frente, agora vou levar a bola para casa de recordação”, disse.

Presente na decisão, o titular da Sejel, Fabricio Lima, destacou a importância do título inédito para o Manaus e ainda afirmou que a Arena vem sendo democrática aos times. "O jogo foi bonito, a torcida que compareceu torceu até o último minuto e o Manaus fez jus a competição e levantou sua primeira taça. Essa é a terceira decisão do Amazonense que a Arena recebe; em 2015 o Nacional venceu, depois o Fast e em 2017 o Manaus. Ou seja, a Arena vem tendo campeões diferentes e disseminando o futebol local. Apoiamos toda a temporada com muita responsabilidade, sempre visando o bem do esporte, e continuaremos nesta missão", ressaltou. 

Torcida

Quem estava feliz da vida pelo título novinho em folha do Manaus era Alonso Silva, que acompanhado da filha Sofia, de 5 anos, pode comemorar este momento histórico para o Verdão. “A temporada do Manaus foi de muita superação, jogadores que vieram da base, muita história, por isso é muito bom ver que este time está podendo colher toda a dedicação dele. Estou muito contente em dividir isso com a minha filha, pois tenho certeza que esse desfecho vai nos fazer querer em sempre lutar e prestigiar esse time”, destacou.

Conformado com a derrota do Leão, mas sem deixar o amor de lado pelo time, estava Alfredo Augusto, 31. Morador do Parque Dez, o torcedor conta que acompanha o Naça desde 2002 e lembra a primeira vez que viu o clube atuar, num jogo entre Nacional x Fast, no Vivaldão. Desde lá, entre perdas e vitórias, ele continua firme e forte perante a estrela azul.

“Eu achei que apesar deste resultado o Nacional surpreendeu este ano, porque não estava com um bom elenco e achei que eles nem chegariam até aqui. Ficou aquele gostinho de querer ver a taça erguida, mas nem tudo foi ruim e temos que reconhecer isso. Vou continuar valorizando meu time e torcendo por mais títulos”, destacou Alfredo.

Decisão do terceiro

Na próxima quarta-feira, 14, será a vez de conhecer o time que vai ficar com a terceira colocação do Amazonense. Fast x Princesa se enfrentam pela competição às 20h, na Arena da Amazônia. 



Tecnologia do Blogger.