Wilker Barreto critica má gestão e reforça necessidade de encerrar contratos abusivos


Com duras críticas a má gestão do Estado, o candidato ao governo do Estado, Wilker Barreto, reafirmou, na noite desta segunda-feira (17), durante debate em emissora de TV, seu compromisso em cancelar e realinhar contratos bilionários para investir em saúde, educação, segurança, emprego e renda.

"No Amazonas, se investe mais no preso do que no professor. Se investe mais no presidiários do que no policial. Gastam mal nosso dinheiro e só essa Umanizzare leva R$425 milhões", disse o candidato, ao citar a empresa de gerenciamento de presídios e outros contratos bilionários mantidos pelo atual governo.

Para Barreto, o descontrole e a falta de planejamento de um governo que, ainda no meio do ano, já gastou R$8 bilhões dos R$15 bilhões disponíveis é visível e absurda. "Sem gestão, esse Amazonas vai virar um novo Rio de Janeiro. Para onde está indo esse dinheiro? Investindo na saúde ou na segurança que não é. O problema do Amazonas é claro: falta de gestão", declarou.

Para Wilker Barreto, sem capacidade de investimento, não é possível viabilizar o bom funcionamento de hospitais e unidades de saúde que já existem, investir em inteligência, equipar e renumerar policiais ou pagar datas-base de educadores.

"Vou aumentar a receita de quem deve o Estado. Vou cobrar os grandes. A concessionária Amazonas Energia, por exemplo, deve R$300 milhões ao governo. Precisamos de dinheiro para reconstruir nosso Amazonas. Sou realista e a única forma de mudar nosso Estado é cortando gordura e ela está nos contratos", reforçou.

Barreto concluiu debate reafirmando a necessidade de o eleitor do Amazonas apostar no novo, mas com capacidade gerencial. "Tem que saber administrar, ter capacidade gerencial. Não trabalho com fornecedores. Trabalho para o povo. Tenho uma mulher ao meu lado, uma educadora que me ajudará a governar com eficiência.


Comprtilhe no Google Plus

da Redação - Manaus/AM

0 comentários:

Postar um comentário