Header Ads

Seo Services

Em debate, Amazonino apresentou propostas pela reestruturação do Executivo estadual

Foto: Clóvis Miranda
 O candidato Amazonino Mendes (PDT), da coligação “Movimento pela reconstrução do Amazonas”, mostrou aos eleitores que pode ser o mais seguro e equilibrado para governar o Estado, em debate, realizado pela Rede Amazônica, afiliada da Rede Globo, na noite desta quinta-feira (3).
 
Durante os quatro blocos do programa, o candidato apresentou propostas pela reestruturação do Executivo estadual e destacou as ações como ex-governador. “Quero agradecer a cada cidadão que nos acompanhou. A minha candidatura é especial porque fui governador três vezes. Adquiri experiência, tenho a idade da prudência, sei o caminho do equilíbrio”, disse. “Nossa candidatura é voltada para fazer essa recuperação, recompor, reconstruir, dar para você o que você já teve: um Estado organizado, forte, saudável. É com essa força, decisão, determinação, que eu me propus a essa candidatura”, completou.
 
O ex-governador Amazonino iniciou o programa informando aos eleitores sobre a participação da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), criada por ele, no processo de geração de emprego e renda no Estado. “Sem educação, é impossível combater a situação crítica do nosso Estado. A UEA é um instrumento poderoso para isso. É preciso dar oportunidade ao jovem. Quando criei a UEA, foi para universidade amazônica, uma universidade que preparasse o jovem para a sua vida, para o meio ambiente. Cursos, em que os formandos assegurem os seus empregos”, disse.
 
Sobre o setor habitacional, o candidato relembrou a construção do maior conjunto habitacional do país, o Nova Cidade, Zona Norte. “Foi feito pelo Amazonino, como governador, sem um centavo da Caixa Econômica, ou recurso emprestado. Todo mundo sabe que sou um homem que tem os olhos voltados para o setor habitacional. Mas vale lembrar que a eleição é para um governo de 12 meses. Primeiramente, é hora de reconstruir o Estado”, declarou.
 
Cultura
O ex-governador destacou as ações realizadas na área cultural e ressaltou sobre a manutenção dos projetos no Estado. “A cultura marca a identidade de um povo. Um povo que não celebra, não promove, não estimula perde a identidade. Como governador, restaurei o Teatro Amazonas, impulsionei o folclore de Parintins, com a construção do bumbódromo”, comentou o ex-governador. “Eu entendo que qualquer investimento na cultura, ajuda a manter o bom astral da população, do povo, além de alardear a idade folclórica para o mundo”.
 
Setor primário
 
O ex-governador lamentou durante o debate a extinção do programa “Terceiro Ciclo”, criado por ele. “O ‘Terceiro Ciclo’ foi a única ação que se fez na agricultura deste Estado depois do extrativismo. Foram feitos investimentos, treinamentos, distribuição de implementos agrícolas. Uma que esse esforço parou”.
 
Segurança
 
Questionado sobre as propostas para a área de segurança, o líder do “Movimento pela reconstrução do Amazonas” ressaltou que é preciso que o Estado faça ações integradas de inteligência, valorize o policial e acima de tudo organize a máquina administrativa. “Eu bato na tecla de que tem que arrumar a casa. O Amazonas está numa região de fronteira e a droga dominou os interiores. É triste a situação da nossa juventude. Mas com valorização profissional do policial, com infraestrutura de trabalho, com coordenação de informação dirigida, é possível se prevenir o crime”, comentou o ex-governador.
 
Debate
 
Ao término do programa, o ex-governador Amazonino Mendes classificou o debate como uma excelente oportunidade ao eleitor para decidir o voto no dia 6 de agosto. “Foi um debate de qualidade, de excelência. E os candidatos contribuíram para que tudo ocorresse em alto nível. O eleitor foi o grande beneficiado”, finalizou. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.