Pistoleiro disse que recebeu ordem de dentro da cadeia para matar cabeleireiro


O pistoleiro de aluguel, Diego Sabino de Araújo, 27, conhecido como “Diego Olhão” ou “Coqueirinho”, autor dos disparos de arma de fogo que provocaram a morte do cabeleireiro e maquiador, João Felipe de Oliveira Martins, ocorrido no dia 30 de agosto deste ano no salão de beleza onde ele trabalhava no Conjunto Vieiralves, foi apresentado nesta quarta-feira de manhã, em entrevista coletiva com a imprensa na sede da Delegacia Geral da Polícia Civil, em Manaus.

Durante a apresentação de “Diego Olhão”, o delegado confirmou que a ordem para matar João Felipe, partiu de dentro do Unidade Prisional do Puraquequara (UPP).

O presidiário, José Mateus da Costa Vieira, mais conhecido como “Sapo”, que é um dos líderes do tráfico de drogas no bairro do Mauazinho, na Zona Leste de Manaus, deu a ordem para “Diego Olhão” matar o cabeleireiro e maquiador.

No seu depoimento, “Diego Olhão” também confessou que não recebeu nenhum dinheiro par matar João Felipe e apenas cumpriu ordem de “Sapo”, que sempre foi seu chefe no tráfico de drogas no bairro do Mauazinho. Diego também confirmou que Gessica Alves Alho, que participou do crime de homicídio, recebeu R$ 500,00 para ajudá-lo a entrar disfarçado de cliente no salão onde executou o cabeleireiro e maquiador com quatro tiros.

De acordo com o delegado titular da DEHS, Juan Valério, em 2011 numa parada de ônibus do bairro do Mauazinho, o traficante “Sapo” matou a tiros a jovem Cristina Martins da Silva, 23, irmã de João Felipe. Há uma informação que “Sapo” teve um caso amoroso com Cristina e quando ela descobriu que ele era traficante acabou o namoro e foi assassinada por ele.





Por ser irmão da jovem assassinada e aparecer com uma das principais testemunhas no processo criminal contra o chefe do tráfico no bairro do Mauazinho, tudo indica que João Felipe foi marcado para morrer.

O delegado Juan Valério disse que já solicitou da Justiça a apresentação de “Sapo” na Delegacia de Homicídios e Sequestros para ser ouvido sobre a acusação feita por “Diego Olhão” que o aponta como mandante do crime.

O delegado Juan Valério declarou ainda que outras pessoas envolvidas indiretamente no assassinado do cabeleireiro e maquiador estão sendo procuradas e já tiveram suas prisões preventivas deferidas pela Justiça. Os presos “Diego Olhão”, autor dos tiros em João Felipe, e Gessica Alho, que entrou com ele no salão de Beleza, serão recolhidos ao presídio na tarde desta quarta-feira e ficam a disposição da Justiça Comum.


Comprtilhe no Google Plus

da Redação - Manaus/AM

0 comentários:

Postar um comentário