Header Ads

Aleam debate riscos da construção de presídio federal no Amazonas


A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) realiza, na sexta-feira (24), uma Audiência Pública para tratar sobre os riscos da construção de um presídio federal no Estado. A reunião, que atende requerimento do deputado Josué Neto (PSD), contará com a presença de representantes dos Ministérios Públicos Estadual e Federal, além de outros órgão federais, estaduais e municipais.

Segundo Josué Neto, já existe um indicativo de construção de um presídio no município de Iranduba (a 20 km de Manaus) a partir de janeiro de 2018. A unidade será construída no km 22 da estrada que dá acesso à obra da Cidade Universitária, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Josué Neto informou que inicialmente era favorável à implantação do presídio em municípios do interior do Amazonas, mas foi alertado pelo Ministério Público do Estado sobre possíveis riscos da construção de uma unidade federal de segurança máxima em uma área tão próxima à fronteira, justamente pelos tipos de presos de alta periculosidade que são mantidos nesses presídios, principalmente chefes de facções criminosas ligadas ao tráfico de drogas.

“Recebemos a confirmação de que será construído um presídio federal em Iranduba e queremos aqui na Assembleia esclarecer e debater se essa estrutura representa algum risco social para a nossa população. Porque fomos alertados que sim”, afirmou.

O procurador-geral de Justiça, Fábio Monteiro, afirmou que vê com preocupação a construção de uma unidade de prisão federal “em qualquer município do Amazonas”. Para ele, a proximidade com as fronteiras e o isolamento dos municípios pode atrair pessoas ligadas aos presos para a região e contribuir para o aumento da criminalidade no Estado.

“Um presídio aqui só vai beneficiar o crime organizado. O Governo Federal acena com investimentos e geração de empregos, mas isso é muito pequeno comparado ao custo social. Um presídio atrai para a comunidade pessoas ligadas ao crime organizado”, afirma Monteiro.

Para a Audiência Pública também foram convidados representantes da Polícia Federal, Defensoria Pública do Amazonas, além do Secretário de Segurança e vice-governador, Bosco Saraiva, o Secretário de Administração Penitenciária do Estado, Cleitman Coelho, o Prefeito de Iranduba, Francisco Gomes, além de representantes da UEA, e outros órgãos que podem contribuir com o debate.



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.