Header Ads

Autoridades realizam nova revista em presidio de Coari


A Polícia Militar por meio do 5º Batalhão (BPM), em apoio a órgãos judiciários realizou na manhã desta sexta-feira (10), nova revista à Unidade Prisional do município de Coari, distante 363 km em linha reta de Manaus.

Conforme as informações da unidade policial militar, a nova revista iniciou por volta de 8h e foi determinada pelo titular da comarca, juiz Fábio Alfaia, que acompanhou pessoalmente os trabalhos na presença do promotor de justiça Weslei Machado.

A revista contou com apoio de colaboradores da prefeitura que atuaram nas dependências das celas com objetivo de localizar possíveis “fundos falsos” nas paredes e pisos que seriam usados pelos presos para esconderem armas ou drogas, o que foi localizado no piso, entretanto, não foram encontrados armamentos. Foram apreendidos materiais como linhas e outros apetrechos usados supostamente para recolher objetos lançados para dentro da unidade.

O juiz Fábio Alfaia determinou a retirada de todos os aparelhos eletroeletrônicos do interior das celas como televisores, aparelhos de som e outros. Os materiais apreendidos foram apresentados na Delegacia Regional de Coari para os procedimentos legais.

Procedimentos de rotina - as revistas na Unidade Prisional de Coari (UPC) estão sendo realizadas periodicamente por determinação do juízo da comarca e requisitadas pelo Ministério Público que fiscaliza e acompanha todo o procedimento. Os próprios internos que cumprem pena na unidade denunciam a entrada de objetos ilícitos, principalmente armas de fogo.

Segundo o Comandante do 5° BPM, Major PM Pedro Moreira, a busca pessoal é realizada durante os dias de visitas, onde tem sido apreendida armas de fogo, celulares, chips telefônicos e bebidas, porém, por conta da localização da unidade, por causa do muro baixo e estar cercada por residências a ação de comparsas ou familiares é facilitada. Mesmo assim, o Comandante enfatiza que as rondas são constantes pelas viaturas de serviço, visando inibir suspeitos.

“Algumas medidas como a colocação de câmeras para monitorar as adjacências da unidade, além da colocação de telas são necessárias para ajudar a conter a entrada de objetos proibidos”, ressaltou o Major PM Pedro Moreira.



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.