Header Ads

Caravana da Aleam chega ao fim com boas perspectivas para o asfaltar Rodovia

Fotos: Dhyeizo Lemos e Joel Arthus | Fotos áreas: Erick Miranda
Após quatro dias, a Caravana BR-319 da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), liderada pelo Presidente David Almeida, e que teve o empenho também dos deputados Abdala Fraxe, Francisco Souza e Platiny Soares, chegou ao fim na sexta-feira (17), com a esperança de que a união política pode destravar as burocracias para o asfaltamento das rodovias 319 e 230.

Com mais de 1,5 mil quilômetros percorridos de carro, David Almeida avaliou como positiva a caravana, já que pode conhecer in loco a real situação da pista e como vivem os moradores do entorno. O chefe do Poder Legislativo Estadual foi categórico ao afirmar que a pavimentação da via não vai degradar o meio ambiente.

“A pista já existe, tem boas condições e não é preciso derrubar uma única árvore para fazer o asfaltamento. Esse discurso de que vai degradar o meio ambiente não pode mais ser desculpa para o não asfaltamento da Rodovia. Agora, vamos envidar esforços e iremos até Brasília conversar com os órgãos responsáveis para cobrar o início das obras”, afirmou.

“Não prometo que vamos conseguir esse asfaltamento, mas vamos fazer o máximo para conseguir. Posso ser criticado por não ter tido êxito nisso, mas jamais por não ter tentado”, concluiu.

Clamando quase que sozinho durante os últimos anos, o Presidente da Associação dos Defensores e Amigos da BR-319, André Marsílio, acredita que o grito dos moradores da Rodovia ganhará eco com a ajuda dos deputados.

“O movimento em prol da BR existe há 30 anos, e nunca tínhamos visto a Assembleia Legislativa tomar essa atitude. Houveram iniciativas de deputados, mas tudo muito particular. Agora não, agora é o Poder Legislativo entrando na luta. A BR-319 pronta será a garantia de expansão econômica dos moradores do entorno, com fomento no turismo e escoamento da produção das cidades”, falou.

Muitos dos defensores da Rodovia lutaram por dias melhores, mas morreram sem ver a pista asfaltada. Dona Mocinha, 58, proprietária de um restaurante na Comunidade Igapó Açu, no Careiro Castanho, há 37 anos, acreditava que teria o mesmo fim. Conhecida por sua indignação com a situação da Rodovia, ao conversar com os deputados, ela afirmou que a esperança renasceu.

“Até hoje só ouvi promessas. Espero em Deus que esses deputados lutem com a gente, porque de conversa fiada já estamos cheios.Queremos ação e estou vendo isso nesses políticos. A BR pronta vai dar saúde e educação às nossas crianças, que hoje é precária”, desabafou.

Direito de ir e vir
Dono de uma loja de material de construção no Distrito de Realidade, na cidade de Humaitá, Adeildo Queiroz, o Carioca da Realidade, sente na pele a falta que faz o asfalto na BR-319. A logística para abastecer seu estabelecimento comercial com mercadorias é complexo, a ponto de ele pensar em mudar de negócio.

“Essa estrada é muito ruim porque em época de chuva fica intrafegável. Já melhorou bastante, é verdade, mas ainda não é o ideal. Ficamos ilhados quando chove. Isso não pode acontecer. Essa estrada já existia, então não tem esse negócio de impacto ambiental. Não tem sido fácil, mas agora temos expectativa de melhoras”, falou.

Relatório
Após a caravana, será confeccionado um relatório da viagem. A ideia, segundo David Almeida, é juntar forças com a bancada amazonense em Brasília e conseguir audiências com os órgãos responsáveis.

“Vamos atrás dos deputados federais e dos senadores. Nessa hora, precisamos nos unir, sem levar em consideração questões partidárias, para termos força junto ao Governo Federal. Alguém precisava desbravar essa luta, e nós fizemos isso”, observou.

A caravana
A Caravana BR-319 da Aleam contou com a participação de mais de 60 pessoas e 15 carros.
Durante todo o percurso, a comitiva foi acompanhada por 13 militares do Exército Brasileiro, entre médico, enfermeiro e mecânico. Sob comando do Coronel Dolvanil, eles seguiam a expedição com carros de apoio, um caminhão e uma ambulância.

“Nós trouxemos quatro viaturas no total, sendo que uma ambulância e uma viatura baú com toda parte de mecânica para fazer qualquer tipo de reparo que fosse necessário, inclusive salvar carros que viessem a atolar. Mas a viagem foi tranquila. Pensávamos que ia ter muitos atolamentos, mas só houve um”, falou agradecendo ao General Antônio Mioto, do Comandante Militar da Amazônia, que foi quem determinou que o Exército acompanhasse a caravana.

Curiosidades
De Manaus a Lábrea, a BR-319 tem exatas 53 pontes de madeira. De Humaitá a Lábrea, a BR 230 tem 12 pontes e todas têm nome, sendo a primeira a Santo Antônio.

Já de Humaitá a Apuí, a 320 registra 19 pontes e 12 lombadas.

Entre os carros que fizeram parte do comboio, apenas a pick-up do deputado Francisco Souza atolou na viagem, mas foi resolvido em instantes.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.