Header Ads

Donald Trump pode ser parente de um serial killer canibal do século 16; entenda


Poucas semanas após um boato defender que a verdadeira Melania Trump, primeira-dama americana, teria sido substituída por outra mulher, chegou a vez de seu marido ser o alvo de teorias conspiratórias. Agora, um grupo de pesquisadores descobriu que Donald Trump e sua família podem estar ligados ao “Vampiro de Bedburg”, um serial killer canibal que viveu no século 16.

De acordo com reportagem do portal Mirror , acadêmicos começaram a investigar o famoso conto de Peter Stumpf, um alemão acusado de matar pelo menos 13 crianças e duas mulheres grávidas e depois comer partes de seus corpos. Durante a pesquisa, eles descobriram uma evidência chocante que relaciona o canibal a Donald Trump , atual presidente dos Estados Unidos.

A lenda diz que o vampiro, morador da cidade de Bedburg, na região de Colônia, foi executado em 1589 após as acusações de assassinato e canibalismo, de ter relacionamentos incestuosos com sua filha e sua irmã, e de matar seu filho mais novo e comer o cérebro dele.

Este caso sempre fascinou pesquisadores como Kevin Pittle, um antropólogo da Universidade Biola, no sul da Califórnia, que decidiu estudar o conto para explicá-lo durante o Halloween quando percebeu um detalhe revelador.

De acordo com alguns documentos, Stumpf foi enterrado junto de sua namorada Katharina Trump, suspeita de ajudá-lo a cometer todos os crimes. Intrigado pelo sobrenome da mulher, Pittle e seu grupo de estudos começaram a traçar a genealogia da mulher alemã.
E as conclusões foram ainda mais bizarras: de acordo com evidências e fatores sociolinguísticos, é possível que a parceira do serial killer seja sim uma ancestral do presidente dos Estados Unidos.

A origem alemã da família Trump 
Friedrich, avô de Trump, nasceu em 1869 no pequeno vilarejo de Kallstadt, nas proximidades de Frankfurt. Durante a adolescência, imigrou para os Estados Unidos e se estabeleceu em Nova York, onde teve dois filhos – John e Fred – que sempre tiveram vergonha de sua ascendência alemã e, assim como Donald, diziam ser suecos.

Entretanto, a genealogia da família pode ser ligada ao “Vampiro de Bedburg” através de suas raízes na cidade de Kallstadt. De acordo com o Mirror , Hens Trumpf II, um dos mais antigos representantes da família, nasceu em meados de 1559. Uma das teorias, sem documentos para comprová-la, sugere que Katharina e Peter tiveram um filho, chamado Hens, que deu continuidade ao sobrenome até chegar à Casa Branca.

Até agora, nenhuma das informações foi confirmada por Donald Trump ou algum outro membro de sua família. Porém, mesmo com a falta de evidências para a relação do presidente com o serial killer canibal , a história levantou suspeitas e deve chamar a atenção dos tabloides de todo o mundo. E você, o que pensa dessa história "de terror"?



Fonte: Último Segundo IG


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.