Header Ads

Projeto Cine Cultura leva o cinema para os presídios de Manaus


A história de um ex-presidiário negro e um milionário branco, numa cadeira de rodas e que acaba em uma grande amizade. Esse é o script do filme “Intocáveis”, que entra em cartaz, nesta sexta-feira, na programação do Cine Cultura, um projeto realizado pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e da Umanizzare Gestão Prisional Privada nas unidades do sistema carcerário amazonense.

O enredo, que tem tudo a ver com os espectadores da película, mostra um contraste gritante entre os dois personagens, onde o respeito fala mais alto na luta pela sobrevivência de forma emocionante. Uma lição de vida que pode levar a reflexão os detentos que assistirão a produção escrita e dirigida por Eric Toledano e Olivier Nakache e estrelado por François Cluzet e Omar Sy.

O objetivo do projeto é levar a sétima arte para dentro das unidades do sistema como um instrumento de reinserção arejando a mente dos detentos com arte, cultura e informação, além de provocar a reflexão com a escolha dos filmes exibidos, em alguns casos, com sessões extras, caso necessário.
“Com a educação cultural diminuímos significativamente a ocorrência de rebeliões dentro dos presídios, promovendo atividades de interação e reflexão que oferecem melhores perspectivas acerca do futuro”, avalia o Coordenador Técnico Regional da Umanizzare no Amazonas, Valter Sales, que tem nome de diretor de cinema.

A maior parte dos presos é analfabeta ou possui o ensino médio incompleto e não tiveram acesso ao cinema. “São filhos da cultura da pobreza, quando proporcionamos uma leitura ou neste caso sessões de cinema, podemos perceber que eles refletem sobre o tema, seguindo sua própria história, há uma identificação e o mais importante, o desejo de outra vida após o cumprimento da pena”, na análise do psicólogo da Seap e coordenador de saúde do sistema prisional amazonense, Williams Damasceno.



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.