Header Ads

Alessandra vê margem de negociação após revogação de decreto que prejudicava servidores


A deputada estadual Alessandra Campêlo, líder do PMDB na Assembleia Legislativa do Amazonas, viu como positiva revogação do decreto que manteve o pagamento dos servidores públicos dentro do mês trabalhado. Ela considerava a medida equivocada e viu na alteração um espaço para a negociação de benefícios para as mais diversas categorias de servidores públicos do Estado.

“Acredito que a mudança no calendário de pagamento dos servidores foi justa, era esperada e era um anseio dos servidores públicos. Demonstrou também boa vontade por parte do Governo, pois se tratava de uma medida totalmente equivocada, já que outros poderes não tinham feito essa mudança. Isso abre um espaço para a gente buscar negociação em relação à data-base, promoções, escalonamento e progressos salariais”, analisou a deputada durante a sessão desta terça-feira, 5 de fevereiro.

Para Alessandra, a retomada da economia é o momento para reabertura das conversações entre as entidades de representação dos servidores da Segurança Pública, Saúde, Educação e outras áreas da Administração.

“Digo sempre que não só a Segurança Pública, mas todos os servidores do Estado precisam de uma sinalização do Governo em relação à data-base imediatamente, pois as perdas já chegam na casa dos 30% nos últimos anos”, observou a parlamentar.

Entenda o caso
Na segunda-feira, 4, o governador Amazonino Mendes assinou o Decreto n⁰ 38.401, determinando que o pagamento dos servidores públicos estaduais, no ano de 2018, será feito dentro do mês trabalhado. A medida revoga o Decreto 38.066, que estabelecia o pagamento até o quinto dia útil do mês subsequente ao mês trabalhado. Com a medida, o servidor não passará mais de 30 dias para receber o salário de janeiro de 2018. O decreto anterior previa o pagamento do salário relativo ao mês de janeiro entre os dias 1 e 5 de fevereiro.



Foto: Emanuel Mendes Siqueira






Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.