Header Ads

Polícia Civil do Amazonas incinera oito toneladas de drogas apreendidas em 2017

Fotos: Valdo Leão / Secom - Lana Honorato / PC-AM - Erlon Rodrigues / PC-AM
A Polícia Civil do Amazonas incinerou nesta sexta-feira (15/12) mais de oito toneladas de drogas oriundas de apreensões feitas entre os meses de agosto e dezembro no Estado. Este é o maior volume de drogas queimadas pelas forças de segurança do Amazonas em pelo menos uma década. Em 2017, as operações policiais já resultaram na apreensão de 13,8 toneladas de entorpecentes, o que representa um prejuízo estimado em cerca de R$ 130 milhões ao crime organizado.

Com a incineração desta sexta-feira, toda a droga apreendida pelas forças de Segurança até agora foi destruída. Ao longo do ano, outras duas queimas ocorreram. De acordo com o vice-governador e Secretário de Segurança, Bosco Saraiva, o momento marca o trabalho exitoso dos policiais do Amazonas que, neste ano, já aprenderam o maior volume de drogas da história, desarticulando quadrilhas e gerando mais segurança à população.

"É um trabalho eficiência da inteligência da Secretaria de Segurança e dos órgãos especializados da Polícia que, em um conjunto de ações, têm feito essas apreensões milionárias que hoje viram fumaça", afirmou o vice-governador, que acompanhou a destruição das drogas ao lado da cúpula da PC-AM.

Das oito toneladas de drogas incineradas, 4,5 toneladas são de maconha e 3,5 toneladas de cocaína. A droga foi apreendida no período de agosto a dezembro deste ano pelas instituições que compõem o Sistema de Segurança Pública do Amazonas.

Equipe - O procedimento foi acompanhado pelo secretário executivo de Segurança, Coronel Amadeu Soares; pelo delegado-geral, Mariolino Brito; delegado-geral adjunto da Polícia Civil do Estado, Antonio Chicre Neto; pela diretora da Divisão de Recebimento, Análise e Distribuição de Inquéritos e Termos Circunstanciados de Ocorrência e de Armazenamento de Material Apreendido, delegada Leila Silva.

Além disso, integrantes do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera); peritos do Departamento de Polícia Técnico-Científica; funcionários do Departamento de Vigilância Sanitária do Estado do Amazonas (Devisa), vinculado à Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), também participaram.

A integração e o fortalecimento das ações é parte da nova política para o setor no Governo Amazonino Mendes. "Estamos integrados fazendo esse trabalho que é a prevenção e apreensão de drogas, especialmente nos rios solimões e madeira. Essa droga saindo de circulação diminui e muito os crimes na capital. É um trabalho nosso para tirar de circulação porque o crime perde a força financeira", disse o delegado geral, Mariolino Brito.

O trabalho de parceria envolve Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), Delegacia Fluvial, Canil da Polícia Militar, Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Serviço Nacional de Segurança Pública (Senasp), Polinter e Delegacia da Receita Federal (DRF).

Ações policiais - De janeiro até o dia 16 de novembro de 2017, as Polícias Civil e Militar prenderam 4.575 pessoas por porte e tráfico de drogas em todo o Estado. Esses números englobam as ações policiais realizadas diariamente. Por envolvimento com o tráfico, foram 4.009 prisões de janeiro até a primeira quinzena de novembro. Outras 566 pessoas foram presas por porte de entorpecentes neste mesmo período. Em 2016, 791 pessoas foram presas por posse e 3.106 por tráfico de drogas no Amazonas.















































Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.