Header Ads

Matrículas para escolas de Tempo Integral da rede pública estadual do Amazonas têm aumento de 11% em 2018


O índice de matrículas para as escolas de Tempo Integral da rede pública estadual do Amazonas neste ano de 2018 registrou um aumento de 11%. A informação foi divulgada pela Gerência de Pesquisa e Estatística da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC) nesta quinta-feira (1º).

O índice de crescimento, de acordo com a gerente de Pesquisa e Estatística da SEDUC, Silvana Morais, deve-se ao aumento no número de escolas que passaram a oferecer essa modalidade de ensino e também ao Programa de Fomento à Implementação das Escolas de Tempo Integral (Proeti), que passou a vigorar em algumas dessas unidades de ensino que atendem a estudantes matriculados no Ensino Médio desde o ano passado. Os dados são parciais, uma vez que o sistema de matrículas ainda está em aberto.

De acordo com o levantamento, neste ano, a SEDUC registrou um total de 42.996 matrículas para as unidades de ensino que oferecem a modalidade de educação em Tempo Integral na capital e no interior, enquanto que no ano de 2017, foram registradas 38.721 matrículas.

Mais escolas - A rede pública estadual do Amazonas conta, atualmente, com 76 escolas que oferecem a modalidade de Tempo Integral. Do total de escolas, 41 unidades estão localizadas na capital e 35 no interior do Estado.

Em 2017, a SEDUC contava com 71 unidades de Tempo Integral, sendo 38 em Manaus e 33 no interior. O aumento nesse número de escolas deve-se à adaptação de unidades de ensino regular para atender a demanda em tempo integral.

Proeti - A adesão da rede pública estadual ao Programa de Fomento à Implementação das Escolas de Tempo Integral (Proeti) desde o ano de 2017 também foi um fator que influenciou o aumento do número de matrículas para as unidades de ensino em Tempo Integral e que atendem alunos matriculados no ensino médio.

O objetivo do programa federal é apoiar a ampliação da oferta de educação em tempo integral no ensino médio nos estados brasileiros e no Distrito Federal por meio da transferência de recursos para as Secretarias Estaduais de Educação que participam do programa.

Segundo o gerente do Ensino Médio da SEDUC, Antônio Menezes, as escolas do programa contam com um currículo diferenciado, que inclui, além dos componentes tradicionais, novos componentes, como “raciocínio lógico e resolução de problemas”, “projeto de vida e empreendedorismo”, “preparação acadêmica”, “direito e cidadania”, entre outros.

Menezes explica ainda que a primeira edição do programa (2017), contou com 17 escolas e na segunda edição (2018), outras 6 escolas foram incluídas no programa, totalizando 23 unidades de ensino que contam com a iniciativa.

No que diz respeito ao número de matrículas, a SEDUC informou que para o ano letivo de 2018, apenas nas 23 unidades de ensino que contam com o programa, já foram matriculados 6.965 estudantes.



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.