Header Ads

Polícia Civil prende bando envolvido no homicídio de ex-presidiário, ocorrido nesta semana, em Parintins


A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Parintins, sob o comando da delegada Alessandra Trigueiro, interina da unidade policial, cumpriu ao longo da manhã de quarta-feira (14/2), mandado de prisão preventiva por homicídio, em nome de Diego Ribeiro da Costa, 20, o “Marcha Lenta”; Dênison Souza Costa, 26, chamado de “Deninho”; Elielson Paz Barros, 34, e Kelven Azevedo Costa, 22, o “Kelvinho”. O crime aconteceu no último domingo (11/2), naquele município, distante 369 quilômetros em linha reta da capital.

De acordo com Trigueiro, a ação foi deflagrada na manhã de ontem (14/2), por volta das 9h, em Parintins e Nhamundá, município distante 383 quilômetros em linha reta da capital. Dênison foi preso na casa onde morava, situada na rua Santa Ana, bairro Paulo Côrrea. Já Elielson foi preso por volta das 10h, na rua Primeiro de Janeiro, bairro São Benedito, ambos em Parintins. Diego e Kelven foram capturados na Comunidade do Laguinho, zona rural de Nhamundá.

“O bando está envolvido em homicídio que teve como vítima o ex-presidiário Gilson dos Santos Silva, o “Nexita”, que tinha 36 anos. O crime aconteceu no último domingo (11/2), no quintal da residência de Dênison. Na ocasião, ocorreu um desentendimento entre os indivíduos e Dênison teria desferido golpes de faca em Gilson. Na sequência, os infratores esquartejaram o corpo da vítima e colocaram os membros em sacos de fibra. A cabeça foi encontrada em uma mochila”, disse a delegada.

Conforme a autoridade policial, o mandado de prisão preventiva por homicídio, em nome de Diego, Dênison, Elielson e Kelven foi expedido no dia 14 de fevereiro deste ano, pelo juiz Fábio César Olintho de Souza, da 1ª Vara da Comarca de Parintins.

Diego, Dênison, Elielson e Kelven foram indiciados por homicídio. Ao término dos procedimentos cabíveis na delegacia, eles serão levados à Unidade Prisional de Parintins (UPP), onde ficarão à disposição da Justiça.

Envolvimento - Ao longo das diligências em torno do homicídio, os policiais civis chegaram até Dagilson Glória de Souza, 33, conhecido como “Luciano”. A delegada Alessandra Trigueiro informou que o elemento foi detido por volta das 11h de quarta-feira (14/2), em uma residência abandonada, no bairro Paulo Corrêa. Ele foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos.

Segundo a autoridade policial, os comparsas de “Luciano” afirmaram, em depoimento, que ele segurou “Nexita” para que Dênison desferisse os golpes de faca no ex-presidiário. O pedido de prisão preventiva por homicídio, em nome de Dagilson, será representado à Justiça pela delegada.



Foto: Divulgação / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.