Header Ads

Polícia Civil desarticula quadrilha que desviou RGs do IIACM e utilizava os documentos para realizar empréstimos bancários

Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM
A Polícia Civil do Amazonas, por meio das equipes de investigação do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), sob a coordenação dos delegados Guilherme Torres e Demetrius Queiroz, respectivamente, diretor e diretor-adjunto do departamento, deflagrou na tarde de terça-feira (06/03), por volta das 15h, ação policial que resultou nas prisões, em flagrante, de Benedita Lúcio de Lima, 48; Francilene Ximenes Firmino, 41; Plácido Otávio Vieira da Silva, 32, e Ronaldo Zagary Lopes, 46, por estelionato tentado e organização criminosa.

Com o grupo os policiais civis apreenderam cédulas, em branco, de Registro Geral (RG), documento popularmente conhecido como Carteira de Identidade, além de prontuários civis, desviados do Instituto de Identificação Aderson Conceição de Melo (IIACM), vinculado à Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). O resultado da operação foi apresentado na manhã desta quarta-feira (7/3), por volta das 10h30, no prédio da Delegacia Geral, no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus.

O delegado Guilherme Torres explicou que as prisões foram efetuadas após as equipes de investigação do departamento receberem, há dois dias, delações anônimas, por meio do número: (92) 99448-9602, o disque-denúncia do DRCO, informando sobre uma organização criminosa que estaria fornecendo RG falso para serem utilizados em empréstimos em instituições financeiras. Torres ressaltou que Francilene e Ronaldo trabalharam, como funcionários terceirizados, no prédio do IIACM, na zona centro-oeste.

Prisões - Conforme o delegado Demetrius Queiroz, Benedita e Francilene foram presas no momento em que utilizavam os documentos falsificados para conseguir um empréstimo no valor de R$ 44 mil, em uma unidade de uma instituição financeira dentro de um edifício comercial, situado na avenida Sete de Setembro, bairro Centro, zona sul da cidade. Segundo Queiroz, após a prisão da dupla, Francilene informou que Ronaldo e Plácido participavam do esquema criminoso.

Em seguida, as equipe prenderam Ronaldo na rua E de Castro, bairro Alvorada 1, zona centro-oeste da cidade. Plácido foi preso na avenida Constantino Nery, bairro Chapada, zona centro-sul da cidade.

“Abordarmos as duas mulheres no momento em que estavam realizando um empréstimo na instituição financeira. Pedimos a identificação delas e, com Francilene, encontramos duas cédulas de identidade, sendo uma verdadeira e a outra falsa. Naquele primeiro momento foi dada voz de prisão pelo estelionato tentado. Após as prisões das infratoras, Francilene colaborou com as investigações e informou que Ronaldo e Plácido participavam do esquema criminoso. Com eles também foram encontrados prontuário civis, além de cédulas de RG em branco”, disse Queiroz.

Investigações revelaram como organização atuava

O delegado Guilherme Torres informou que cada indivíduo preso tinha uma função definida na organização criminosa. Conforme o diretor do DRCO Francilene, além de, possivelmente, ter desviado as cédulas em branco, fingia ser corretora de empréstimos pessoais e selecionava as pessoas que iriam receber o dinheiro, no caso Benedita. Já Ronaldo obtinha prontuários e cédulas de identidade em branco e entregava para Francilene. Plácido era encarregado de pesquisar nomes e dados de pessoas para serem inseridos nas cédulas em branco e obter êxito nos empréstimos bancários.

“Recebemos a informação de que uma organização criminosa, composta por quatro pessoas, com funções bem definidas, estaria aplicando golpes em instituições financeiras. Durante as investigações constatamos que se tratava de dois ex-funcionários terceirizados do IIACM que, quando desligados, subtraíram malotes com RGs em branco e, também, alguns prontuários civis. De posse dos prontuários, que contêm informações pessoais de cidadãos, eles conseguiam falsificar RGs. Chamavam “laranjas” e se dirigiam até uma instituição financeira. Os golpes variavam de R$ 30 a R$ 40 mil”, disse Torres.

Flagrante – Benedita, Francilene, Plácido e Ronaldo foram autuados em flagrante por estelionato tentado e organização criminosa. Ao término dos procedimentos cabíveis no departamento, o bando será levado para audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, no bairro São Francisco, zona sul.

O diretor do DRCO destacou, ainda, que Francilene e Ronaldo serão indiciados por peculato, pelo desvio das cédulas em branco e prontuários civis do IIACM.



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.