Header Ads

Presos são qualificados para trabalhar como agentes de saúde nos presídios


Detentos do sistema penitenciário amazonense estão sendo formados para atuar como agentes promotores de saúde nas unidades prisionais do Estado. Os presos estão fazendo curso de qualificação profissional promovido pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), em parceria com a Umanizzare Gestão Prisional.

Entre as matérias do curso ministrado por profissionais da Umanizzare estão a de doenças bucais, dor de dente, noções de identificação referentes a doenças na pele, percepção dos sintomas da tuberculose e aferição de pressão arterial.
A previsão é que cerca de 70 internos sejam formados no curso e passem a atuar na orientação junto à população carcerária, prestando informações sobre as principais doenças no ambiente carcerário colaborando na identificação e prevenção de patologias para posterior encaminhamento as unidades de saúde para atendimento.

Para o secretário da Seap, coronel da PM Cleitman Coelho, a qualificação dos reeducandos sobre algumas doenças contribui para a saúde dos outros internos, além de conceder a concessão do benefício de remição de pena, pelos serviços prestados.

“Além de contribuir para melhorar a qualidade de vida dentro das unidades, com a prevenção e melhora nas ações curativas, o projeto de formação insere-se na política de resocialização por meio do trabalho e eleva a autoestima dos reeducando”, enfatiza o secretário da Seap.

O curso tem a duração de três a quatro dias, de acordo com o planejamento de cada unidade. Em Itacoatiara, a qualificação já começou com a participação de 10 internos. Para a Odontóloga responsável pela unidade, Tamiris Ferreira de Lima, esta atividade é importante, pois o conhecimento que é passado aos reeducandos permite a troca de informações no ambiente prisional.

“Eles se tornam nosso braço direito, pois nos auxiliam e esse estreitamento com os agentes torna os atendimentos mais rápidos, visto que eles estão mais próximos aos colegas nos pavilhões”, comenta a dentista.

O reeducando Fábio Souza Pantoja afirma que a capacitação além de ajudar na remição, também contribui para aprender mais sobre a saúde humana: “para mim um dos principais benefícios desse projeto é o aprendizado que temos recebido para repassar e poder ajudar nossos colegas".

Agentes Promotores de Saúde - O projeto segue as diretrizes do artigo 20 da Portaria Interministerial nº 01/2014, que diz que as pessoas privadas de liberdade poderão trabalhar nos serviços de saúde implantados dentro das unidades prisionais, nos programas de educação e promoção da saúde e nos programas de apoio aos serviços de saúde. É proposta a concessão do benefício de remição de pena ao apenado que terminar a qualificação e trabalhar nas unidades, ao Juízo da Vara de Execução Penal.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.