Conectando o Amazonas

Abrigo Nacer completa 3 anos atuando em prol de crianças e adolescentes


A falta de estrutura física, a ausência da família e a instabilidade emocional são alguns dos fatores que levam inúmeras adolescentes grávidas a interromperem a gestação ou abandonarem o filho logo após o nascimento. Em Manaus, as jovens que enfrentam essas dificuldades podem encontrar apoio no Núcleo de Assistência a Criança e Família em Situação de Risco (Nacer), localizado no bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul da capital.

A instituição completa no mês de maio três anos de atuação garantindo acolhimento, assistência psicológica, proteção e cuidados com a saúde para adolescentes grávidas e crianças em situação de vulnerabilidade social encaminhadas pelo Juizado da Infância e da Juventude.

Segundo o diretor da casa, Cleslley Rodrigues, o espaço funciona em regime de abrigo e representa um sonho que se tornou realidade. “O Nacer foi criado em 2015 a partir do sonho de reduzir a mortalidade infantil e materna com o combate à desnutrição e prevenção da gravidez precoce”, conta.

A sede do Nacer possui capacidade de atendimento para 20 acolhidos e é composta por berçário, banheiros, copa, cozinha, área de recreação e sala de apoio para orientações educacionais e assistência psicopedagógica.

De acordo com dados da instituição, em 2017 foram realizados 26 acolhimentos, entre crianças e adolescentes, na faixa etária que corresponde a 45% crianças de 0 a 2 anos, seguido de 30% de 3 a 5 anos, 15% de 6 a 11 anos e 10% de 12 a 17 anos. A maioria dos acolhidos é do sexo feminino.

“O perfil dos acolhidos mostra que as crianças são expostas a inúmeras situações de vulnerabilidade social e pessoal, como negligência, abandono, maus tratos, adoção ilegal, gravidez, entre outras. Neste sentido, quando acompanhadas por uma equipe especializada, desenvolvem habilidades e potencialidades que auxiliam na superação da situação de violência e na ampliação da resiliência, autonomia pessoal e social”, destaca Rodrigues.

Visando o atendimento integral do público, o Nacer desenvolve diversos projetos voltados para grupos específicos.

O projeto Apoio às Mães Adolescentes (AMA) que acolhe adolescentes grávidas, promovendo acompanhamento médico e psicológico durante o pré-natal, orientação sobre cuidados com o bebê, aleitamento materno e prevenção de nova gravidez. Além disso, apoia a confecção do enxoval, motiva a permanência na escola e capacita as jovens para atividades de geração de renda.

As crianças de 0 a 3 anos em situação de risco social, abuso ou abandono são atendidas pelo projeto Aconchego. Já as crianças mais velhas em situação de risco e abaixo do peso fazem parte do projeto Pão da Vida.

A instituição ainda desenvolve o projeto de abordagem social Girassol, voltado para adolescentes na faixa etária entre 12 a 17 anos, residentes do bairro Parque Dez de Novembro e seu entorno. Segundo o diretor do Nacer, são realizadas ações esportivas, culturais e de lazer que estimulam a prática do diálogo e contribuem para a inclusão social dos participantes.

“Através destes projetos, geramos um importante impacto social não apenas na vida dos acolhidos, mas de suas famílias e também da comunidade onde estamos inseridos”, complementa.

Heróis do bem
Os recursos que mantêm o NACER são provenientes de pessoas físicas e jurídicas que fazem doações regulares e convênios periódicos com a rede pública de assistência social.

De acordo com Rodrigues, continuamente são realizadas ações, campanhas e eventos para captação de fundos. Uma das formas de ajudar é se tornando um padrinho.

“O padrinho é alguém que deseja auxiliar e acompanhar a vida de uma criança ou adolescente que está em um abrigo. No Nacer, os interessados podem apadrinhar uma criança ou adolescente com doação a partir de R$ 30, organizando sua conta para transferência programada diretamente para conta da associação. Também podem doar itens de necessidade, como roupas, calçados, enxoval de bebê, produtos de higiene, material didático e alimentos. E ainda doar tempo e carinho, criando vínculos e participando de seu desenvolvimento”, explica.

Atualmente, a casa recebe a contribuição de 13 padrinhos. Quem deseja integrar o time de “heróis do bem”, como são chamadas as pessoas que apoiam o abrigo, deve preencher um formulário disponível no site www.nacercrianca.org. Os padrinhos têm liberdade de auditar as contas da instituição para saber onde o dinheiro está sendo aplicado.

“Fazer parte do Nacer é uma oportunidade de resgatar o direito à convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes ampliando as suas referências, oferecendo a possibilidade de se relacionar com novos exemplos de participação e de cidadania”, ressalta o diretor da instituição.

Postar um comentário

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes