Conectando o Amazonas

Polícia Civil prende dupla envolvida em triplo homicídio que aconteceu em março deste ano, no Distrito de Balbina

Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM
A Polícia Civil do Amazonas realizou na manhã desta segunda-feira (28/05), às 10h, coletiva de imprensa no prédio da Delegacia Geral, para divulgar balanço de ação policial deflagrada na noite do último sábado (26/05), que resultou nas prisões de Alexsandro Campos da Costa, 43, o “Alex Padeiro”, e Márcio Orlan Silva de Jesus, 27, chamado de “Gordinho”, envolvidos em triplo homicídio ocorrido no dia 18 de março deste ano, no Distrito de Balbina, em Presidente Figueiredo, município distante 107 quilômetros em linha reta da capital.

Os trabalhos foram coordenados pelos delegados Guilherme Torres, Juan Valério e Jeff David Mac Donald, respectivamente diretor e diretor-adjunto do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Conforme Valério, os infratores foram presos pelas equipes do DRCO e DEHS na noite do último sábado (26/05), no Porto da Ceasa, na segunda etapa do bairro Distrito Industrial, zona leste de Manaus. Segundo a autoridade policial, a dupla trabalhava para os narcotraficantes Gelson Carnaúba, chamado de “Mano G”, e Clemilson dos Santos Farias, o “Tio Patinhas”. A dupla foi presa em cumprimento a mandados de prisão preventiva expedidos pelo juiz que atua na Comarca de Presidente Figueiredo.

Triplo homicídio - Durante a coletiva, o delegado Jeff Mac Donald explicou que o crime ocorreu por volta das 3h, em um sítio situado no quilômetro 49 da rodovia AM-240, na estrada do Distrito de Balbina. Entre os mortos, estava Alexandre Campos Lemos, o “Ala”, um dos homens de confiança do narcotraficante João Pinto Carioca, conhecido como “João Branco”. A vítima tinha 37 anos.

Na ocasião do triplo homicídio, outros dois homens, sendo um de 48 e o outro de 39 anos, foram executados. Um quarto indivíduo foi atingido por disparos de arma de fogo, entretanto sobreviveu após fingir estar morto. Jeff David Mac Donald ressaltou que, de acordo com as investigações, 16 pessoas estão envolvidas na ação criminosa. “Alex Padeiro” teria fornecido armamento e ordenado que comparsas dele participassem ativamente do delito.

“No dia do triplo homicídio foram utilizados quatro carros, ocupados, aproximadamente, por 16 infratores. Estamos investigando de onde partiu a ordem de execução, mas temos conhecimento de que “Alex Padeiro” foi uma das pessoas que forneceu armas. Ele mandou três soldados dele, dentre eles Márcio, para participar do triplo homicídio”, disse Mac Donald.

Domínio de Região – Ao longo da coletiva, o delegado Juan Valério relatou que a partir desse triplo homicídio, houve uma intensificação de ataques criminoso no Conjunto Amazonino Mendes, conhecido como “Mutirão”, no bairro Novo Aleixo, zona norte de Manaus.

“Existe uma disputa entre facções criminosas pelo domínio daquela região. Os traficantes cederam os soldados, carros e armas para efetuarem a execução de “Ala”. No decorrer das investigações, identificamos que 16 homens participaram do crime, sendo um deles Rodrigo Pinheiro de Souza, chamado de “Amaral”, que já foi morto, e Felipe Castro Sanches, conhecido como “2K”, que já está preso”, argumento Valério.

O diretor-adjunto do DRCO explicou que Márcio possui passagem pela polícia por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, cometidos 2017. Já Alexsandro possui passagem pela polícia por homicídio.

Indiciamento – Alexsandro e Márcio foram indiciados por triplo homicídio, tentativa de homicídio e associação criminosa. Ao término dos procedimentos cabíveis na especializada, os dois infratores serão levados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irão ficar à disposição da Justiça.

Foragidos – Juan Valério afirmou que outras 13 pessoas estão sendo procuradas por envolvimento no crime. São elas: Adriel Sampaio Encarnação, conhecido como “Cara de Pizza”; Aguinaldo dos Santos Fonseca, o “Careca”; Bruno Silva Souza, o “Soldado”; Edmar Pereira da Silva Neto, chamado de “Bity”; Menison Bezerra Gomes, chamado de “Topete”; Robson, conhecido como “Neguinho da Sesau”; Wesley Alexandre Duarte, o “Mascote”; Roque de Castro Pinto Júnior, chamado de “Ponga”; Eliel da Sesau, José Valdir de Souza Costa, e um indivíduo identificado apenas como “Bode”.

Outras duas pessoas, que não tiveram as identidades reveladas, também estão sendo procuradas pela polícia.

Disque-Denúncia – Para concluir, Juan Valério solicitou a colaboração da população para localizar e prender os foragidos. Quem puder colaborar com informações que possam ajudar os policiais civis, entrar em contato pelo número: (92) 99448-9602, o disque-denúncia do DRCO, ou pelo número da DEHS: (92) 99184–4434. As delações podem ser realizadas, ainda, pelo número 181, da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). “A Polícia Civil assegura o sigilo da identidade dos informantes”, garantiu o delegado.


Postar um comentário

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes