Conectando o Amazonas

Bosque da Ciência é opção de lazer no feriado prolongado em Manaus

 O Bosque da Ciência do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) é uma opção de lazer e contato com a natureza neste feriado da Consciência Negra (20). O bosque está localizado na rua Bem-te-vi, s/nº, Petrópolis, zona Sul da cidade.

Uma novidade é que agora os visitantes terão mais uma oportunidade de interação com animais do bosque, especialmente a fauna livre que não se vê com facilidade . Por meio do aplicativo para celular Trilha Animal, os visitantes terão informações de qualidade sobre sete animais (peixe-boi, ariranha, jacaré, poraquê, preguiça, cotia e macaco), com direito a mapa interativo onde é possível vê-los em 3D e com dimensão aumentada.

As informações sobre os animais são desbloqueadas apenas quando o visitante chega até as placas informativas espalhadas pelo bosque, uma forma de incentivar as pessoas a andarem por todo o espaço. O app desenvolvido pelo Instituto de Desenvolvimento e Informática da Amazônia (Sidia), em parceria com o Inpa, é gratuito e está disponível na Google Play Store. Podem usá-los os usuários com dispositivo android que tem suporte para realidade aumentada (Google ARCore).

Por ano, o espaço recebe cerca de 120 mil visitantes. Vinculado à Coordenação de Extensão do Inpa, o bosque funciona de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h, e sábados e domingos, das 9h às 17h. A portaria fecha às 16h. Nas segundas-feiras o espaço é fechado para manutenção.

A entrada custa R$ 5, mas crianças de até 10 anos e idosos a partir de 60 anos não pagam. Grupos escolares e de instituições agendados têm entrada gratuita. Os interessados podem fazer o agendamento pelo endereço http://abc-bosque.inpa.gov.br/

Atrativos

Além de ter contato com uma variedade de espécies vegetais (tanimbuca – árvore de 600 anos, sumaúma, mogno, andiroba, caiaué, cacauí, açaí, plantas aquáticas), os visitantes podem observar peixes-bois, ariranhas, jacarés, tartarugas e a fauna livre como macacos, cotias, preguiças, aves e insetos.

Os visitantes podem ainda andar pela trilha suspensa, que fica na altura da copa das árvores, a trilha de agrofloresta, conhecer a Casa Eco, a maloca indígena e a Casa da Ciência, onde há uma exposição permanente mostrando a vida do caboclo, o exemplar da Coccoloba – a folha gigante, pequenos objetos de madeira, sala dos insetos aquáticos, entre outros atrativos.


Postar um comentário

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes