Conectando o Amazonas

Trombose é mais comum em homens acima dos 40

Caracterizada pela formação ou desenvolvimento de um coágulo sanguíneo responsável por causar a obstrução e inflamação na parede do vaso, a conhecida trombose acomete milhares de pessoas, sendo os principais alvos, homens acima de 40 anos, com histórico pessoal ou familiar de trombose e acima do peso ideal, segundo informações da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro (SBACV-RJ).

Casos de trombose, como o do deputado eleito Túlio Gadelha, namorado da apresentadora Fátima Bernardes, que foi diagnosticado com trombose nos últimos dias tem se tornado comum. Os membros inferiores são os locais mais comuns de trombose e os principais sintomas são o inchaço, a vermelhidão, a dor, calor local e dor nas pernas.

De acordo com o angiologista do Hapvida, Jorge Seraphim, a falta de movimento nos membros, principalmente nos inferiores, pode acarretar no surgimento da doença. “Na maioria das vezes, esse coágulo se forma nas veias das pernas quando ficamos com pouco movimento. Existem duas coisas que dão trombose, ou você está em condição de risco ou numa situação de risco. Uma condição de risco é algo inerente ao próprio organismo, ou seja, tem pessoas que têm uma tendência a ter trombose, já outras pessoas estão em algumas situações, como num pós-operatório. Em ambos os casos, nem sempre há necessidade de internação”, disse.

Estudos da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular, indicam que a incidência de trombose é igual nos dois sexos quando não estratificado por faixa etária. Quando é avaliada apenas a faixa entre 20 a 40 anos, a incidência é um pouco maior nas mulheres exatamente pela maior exposição a fatores de risco, como anticoncepcionais e gestações. Estima-se que a cada ano, mais de 300 mil pessoas nos Estados Unidos e mais de 500 mil na Europa passem por eventos de trombose venosa profunda e tromboembolismo pulmonar. No Brasil, não há registros precisos da incidência, mas calcula-se que, a cada mil habitantes, um ou dois sejam acometidos por trombose.

“Cada caso deve ser avaliado. O grande problema da trombose é uma embolia pulmonar que pode se tornar fatal, já a longo prazo, trombose extensa causa também problemas nas pernas, como afastamentos do trabalho, dores, pode escurecer a perna, entre outros”, completa o especialista.

Embora os casos ainda sejam bastante recorrentes na sociedade como um todo, o médico diz que há a possibilidade de prevenção da doença. “Uma vida saudável, com boa alimentação e estilo saudável, com a prática de esportes, ajuda a combater a doença. Entretanto, quando você está em uma situação de risco, como por exemplo, se você vai se submeter a uma cirurgia, tem de ter um protocolo de prevenção desse trombo embolismo venoso, que é da trombose embolia pulmonar. Ou então, quando algumas pessoas têm pré-disposição e estarão em situações como em um voo, ou viagens muito prolongadas quando você fica muito tempo sem andar, deve procurar um especialista para se ter uma orientação melhor sobre o seu caso”, destaca.



Postar um comentário

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes