Conectando o Amazonas

Médico bate em mulher grávida que não consegue ter parto normal

Um vídeo que está sendo virilizado mostra um médico, supostamente no Instituto da Mulher Dona Lindu, que fica localizado ao lado do Hospital 28 de Agosto, agredindo e se recusando a levar uma parturiente que, segundo relatos, não pode dar realizar parto normal.

No vídeo, uma mulher implora para que o médico a leve ao centro cirúrgico e salve a vida da mãe do bebê, ela ainda ameaça chamar a imprensa e o 'suposto' profissional, arrogantemente a desafia a denucunciá-lo. Ainda discutindo, ele levanta-se e bate com as duas mãos na mulher grávida, que está de pernas abertas e deitada em uma cama.

Segundo informações, o vídeo não é no Instituto da Mulher e sim, em uma maternidade ainda a ser identificada. Há relatos de algumas mulheres de que foram maltratadas pelo referido médico.


NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informa que o fato divulgado no vídeo que circula nas redes sociais e na imprensa é de 2018, ocorreu há nove meses na maternidade Balbina Mestrinho e que tomou conhecimento hoje por meio das redes sociais. Não há qualquer registro na maternidade ou na Ouvidoria à época de denúncia. A Susam não está de acordo com o tipo de conduta praticada pelo médico. Por este motivo, o vice-governador e secretário de estado de Saúde, Carlos Almeida, irá solicitar à direção do Instituto de Ginecologia e Obstetrícia do Amazonas (Igoam), empresa ao qual o profissional é cooperado, o seu afastamento. E também reiterar pedido de providências ao Conselho Regional de Medicina (CRM).
Já tramita na secretaria um processo administrativo para apurar outra denúncia de negligência contra o médico.


Um comentário :

  1. Tem que prender esse cavalo afastamento e pouco tem que caçar a licença medméddele

    ResponderExcluir

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes