Conectando o Amazonas

Associação do Ministério Público lança corrida No Combate à Violência Doméstica

A Associação Amazonense do Ministério Público (AAMP) lançou oficialmente, na manhã desta quinta-feira (16), a corrida anual com o tema “No Combate à Violência Doméstica”. O lançamento aconteceu durante o encontro “Violência Doméstica no Amazonas: Cenário 2019 e Perspectivas de proteção para as mulheres”, na sede do Ministério Público do Amazonas (MPE), na Ponta Negra.

A corrida pedestre da AAMP vai acontecer no dia 4 de agosto com concentração, largada e chegada na sede do MPE-AM, na Ponta Negra. São dois percursos: de 5km e 10 km. Além da corrida, haverá sorteios de brindes, premiações em dinheiro e troféus para os campeões e medalhas para todos que concluírem o percurso. As inscrições serão online no site www.ticketagora.com.br/aamp.

Os dois eventos fazem parte das ações da AAMP voltadas ao enfrentamento da violência contra a mulher. “Os eventos são oportunidades para discutirmos essa questão sobre violência doméstica, que afeta as mulheres e famílias amazonenses. São importantes também para entendermos quais são as causas do aumento dessa violência e contribuir com o Estado e município que atuam nessa rede de proteção”, destaca o promotor Lauro Tavares, presidente da AAMP.

Sobre o Encontro

Participaram do evento, o promotor Davi Santana da Câmara, Promotor de Justiça Titular da 73ª Promotoria de Justiça, a advogada Amália Campos da Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ), o presidente da OAB-AM, Marcos Aurélio Choy, a delegada Débora Mafra, titular da DECCM, a Tenente Adriane Oliveira, comandante do Ronda Maria da Penha, a secretaria-executiva da Sejusc, Ana Gabrielle Barroncas Pará, a secretária municipal da Mulher, Conceição Sampaio, a vereadora Mirtes Sales e o e vereador Amauri Colares.

Durante o encontro, a titular da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM), delegada Débora Mafra, afirmou que a violência sempre existiu, mas agora as mulheres estão denunciando os casos. “Essa violência já existia e não era anunciada, agora ela deixa de estar escondida, pois a mulher está denunciando mais, e isso tem sido positivo, porque tem diminuído o feminicídio”, ressalta Mafra.

O promotor Lauro Tavares destacou que novos encontros serão promovidos para discutir a temática. “Esse é o primeiro evento, reunindo várias autoridades e iremos fazer outros, indo para dentro dos bairros, das escolas, porque entendemos que é preciso não só diminuir os índices de forma repressiva, mas de forma preventiva, com educação, mudando a cultura do machismo que ainda existe na nossa sociedade”, destaca.



Postar um comentário

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes