Conectando o Amazonas

Mobilização de Chico Preto em terminal de ônibus tem boa interação com o público

Organizada pelo vereador Chico Preto (PMN), a mobilização nos terminais de ônibus de Manaus para convocar os usuários do transporte coletivo a pressionarem a Prefeitura pela renovação da frota, teve início na manhã nesta quinta-feira (16) no T3. Na ocasião, o parlamentar entregou panfletos com informações sobre o atual cenário do sistema e observou, in loco, a dualidade da população em coletivos velhos e em sua grande maioria, lotados.

“Cheguei por volta das 6h ao T3 e vi a realidade de muitas pessoas na cidade de Manaus. A pressão de quem usa o transporte coletivo é fundamental. Somente eu, como vereador falando na Câmara, não vou resolver o problema. É hora de mobilização junto à população para que isso gere constrangimento e esse constrangimento gere uma ação por parte da Prefeitura. Não dá mais, é inadmissível o que está acontecendo no transporte coletivo na cidade de Manaus. A atual administração já teve sete anos de gestão e essa realidade não mudou”, afirmou.

“É preciso um trabalho forte da Prefeitura a fim de que haja a renovação da frota e a quantidade correta de ônibus circulando, porque muita gente vai como sardinha em lata nos coletivos, alguns com corpo para fora quando o ônibus está saindo no início da viagem. Isso é fruto de uma frota reduzida. Além disso, são 300 ônibus com prazo de validade vencido, com mais de 10 anos de uso”, concluiu.

A universitária Maria Mendes, 23, que é cadeirante, utiliza o T3 todos os dias para ir à faculdade. Ela relata a dificuldade que tem para transitar no terminal tomado de buracos e lama, e adentra nos ônibus sem acessibilidade para portadores de deficiência física.

“É muito difícil, não tem elevador nos ônibus e alguns têm um ferro no meio que impede a passagem. É muito constrangimento que passo. As ruas do terminal são sujas e não têm rampa. O problema do transporte coletivo não é só para quem é cadeirante. Pessoas normais também sofrem bastante, com ônibus velhos e cheios”, disse.

Números

Atualmente, circulam mais de 300 ônibus com 10 anos de uso, o que é proibido pela a Lei Municipal 1.799/2013, e outros 100 completando uma década em 2019. Segundo Chico, o tempo de circulação dos veículos aliado à falta de manutenção adequada têm culminado na exaustão dos coletivos.

“É por isso que quebram, em média, 15 ônibus por dia na cidade de Manaus. A frota está esgotada e precisa ser renovada. A renovação foi prometida no ano passado pelo prefeito Arthur e até agora nem sinal de que isso irá acontecer”, afirma.

Postar um comentário

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes