Conectando o Amazonas

Cooperação técnica entre Sead e UGPE vai fortalecer o combate à ocupação irregular

O Governo do Amazonas vai reforçar o monitoramento de áreas que estão em risco de serem ocupadas de forma irregular. A Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) e a Secretaria de Estado de Administração e Gestão (Sead) firmaram um Termo de Cooperação Técnica, nesta terça-feira (09/07), que vai permitir a aquisição de recursos técnicos para modernização do Grupo Integrado de Prevenção às Invasões em Áreas Públicas (Gipiap).

Esse grupo, que faz parte da estrutura da Sead, gerencia as ações integradas com órgãos do Estado, do município e da União, para prevenção e repressão de ocupações irregulares.

Um total de R$ 1,2 milhão será destinado para a compra de três veículos, computadores, tablete, máquina fotográfica, dois drones, GPS, licença de software para uso do GPS, desenvolvimento de um sistema de gestão controle e georeferenciamento e outros materiais.

Esses recursos são provenientes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), órgão financiador do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim). A UGPE é órgão interlocutor com o banco para assuntos do Prosamim.

Maior controle - Por meio desse Termo de Cooperação, o Gipap passa a atuar de forma mais estratégica e assertiva, destacou a secretária da Sead, Inês Carolina Simonetto. “São equipamentos que vão garantir um serviço de inteligência ao trabalho prestado pelo grupo”, avalia Inês.

“Todos os pontos monitorados passarão a ser georeferenciados, inclusive com imagens de drones. O Sistema de Gestão que será adquirido permitirá o acompanhamento das denúncias, desde quando chegam ao Gipiap até o desfecho. Isso possibilitará um controle maior de dados para direcionar as ações do grupo”, destacou a secretária da Sead.

Atuação conjunta - O Gipiap já atua de forma conjunta com o Prosamim em áreas desapropriadas por esse programa. O grupo já participou de, aproximadamente, 50 ações de 2017 até o momento. Foram produzidas notas técnicas e relatórios circunstanciados para que o Prosamim adotasse ações de prevenção.

“A população de baixa renda, a população vulnerável, ocupa as margens dos igarapés, principalmente, e outras áreas públicas onde o Prosamim atua com intervenção de obras. O fortalecimento do Gipiap é importante para nós porque previne essas futuras ocupações. Onde o Prosamim intervém com obras, o Gipiap também faz a vigilância dessas áreas. Há casos de parques invadidos no passado onde o Gipiap atuou para retirar a população naquele momento”, declarou o coordenador executivo da UGPE, Marcellus Campêlo.

O Gipiap da Sead foi criado para gerenciar as ações integradas com órgãos do Estado, do município e da União, para prevenção e repressão das ocupações irregulares. São acompanhadas pelo grupo áreas de proteção permanente, prédios históricos que compõem o patrimônio cultural do Estado e áreas privadas.


Foto: Divulgação



Postar um comentário

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes