CBA estreita parcerias para o desenvolvimento de bioprodutos amazônicos

Reunião realizada na sede do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), nesta segunda-feira (26), buscou aproximar a instituição de agentes envolvidos nas diversas cadeias produtivas do setor primário regional e, também, discutir formas de reforçar a atuação do CBA como centro indutor da geração de negócios a partir do aproveitamento sustentável dos recursos da biodiversidade amazônica.

A reunião, liderada pelo coordenador-geral de Planejamento e Programação Orçamentária da Suframa e membro titular da Autarquia no Grupo de Gestão do CBA, Fábio Calderaro, contou com a participação de representantes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Secretaria de Estado da Produção Rural do Amazonas (Sepror) e Sindicato das Industrias de Fiação e Tecelagem no Estado do Amazonas, entre outras entidades, bem como de profissionais da Coordenação-Geral de Acompanhamento de Projetos Agropecuários da Suframa e de pesquisadores e coordenadores temáticos do Centro.

Na ocasião, foram apresentadas pesquisas em andamento e propostas de interesse do CBA para a geração de diversos bioprodutos a partir de ativos da biodiversidade amazônica, incluindo óleo de copaíba, óleo essencial de Pau-Rosa e bebidas funcionais à base de frutas regionais, como camu-camu e buriti. Outro projeto destacado pela equipe técnica do Centro foi relativo à estruturação da cadeia produtiva do curauá, planta amazônica que conta com uma fibra de grande resistência e amplas possibilidades de aproveitamento em diversos segmentos industriais.

Ao final das apresentações, os representantes das diversas entidades presentes puderam expor suas visões sobre os projetos apresentados e discutir, conjuntamente, formas de alavancar a geração de bionegócios e soluções para que a bioeconomia possa ter uma participação mais significativa no Produto Interno Bruto (PIB) tanto do Estado do Amazonas quanto dos demais Estados inseridos na área de atuação da Suframa.

O titular da Autarquia no Grupo de Gestão do CBA, Fábio Calderaro, afirmou que a Suframa recebeu do Ministério da Economia a incumbência de assumir, de fato, a responsabilidade sobre o Centro. Diante disso, a Autarquia construiu, em parceria com a Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, um novo projeto de administração para o órgão, baseado, principalmente, na transformação efetiva das riquezas da biodiversidade regional em bionegócios. “A partir do planejamento que foi feito e aprovado na semana passada pelo secretário Carlos da Costa (da Sepec), o CBA vai ter um novo papel. O objetivo agora será transformá-lo em um centro indutor de geração de bionegócios”, ressaltou Calderaro.

Ele também afirmou que a reunião desta segunda-feira foi extremamente produtiva, sobretudo, no tocante ao estreitamento de parcerias e ao mapeamento de produtos que tenham demanda significativa de mercado e possam ser trabalhados de forma mais direcionada pelas instituições. “O CBA conta com 12 mil metros quadrados de instalações, então possui muita capacidade para contribuir. As portas estão sempre abertas para que todos os parceiros possam acompanhar e colaborar também com os nossos trabalhos. Essa aproximação vai fazer com que sejamos mais assertivos”, finalizou.


Foto: Márcio Gallo



Postar um comentário

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes