Exploração sustentável de gás no AM pode beneficiar economia

A sustentabilidade da Zona Franca de Manaus (ZFM) - cuja atividade industrial concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM) reúne empresas ambientalmente responsáveis - leva outros segmentos a buscarem seguir o mesmo caminho. É o caso da exploração de gás na Amazônia, que nesta terça-feira (20) contou com um evento exclusivo para tratar do tema. Realizado nas dependências do hotel Quality, em Manaus, o "Workshop Gás Natural da Amazônia - Garantia de Desenvolvimento Sustentável para o Estado" contou com a presença do governo do Estado do Amazonas, da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e do Ministério de Minas e Energia (MME). A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) foi convidada a participar do evento, uma vez que a atividade pode fomentar a economia regional e nacional.

Durante o evento, Alexandre Quadrado, vice-diretor geral da empresa que atua com exploração de gás no Amazonas, informou como a atividade pode ser útil para o desenvolvimento da região e do País, tendo em vista a potencialidade existente no Estado. "A bacia sedimentar do Solimões é uma das mais importantes de todo o Estado em volume de reservas de gás entre as bacias terrestres brasileiras", disse, ao destacar a relevância da área.

O diretor da EPE, José Mauro Coelho, reiterou como a Bacia do Solimões pode ser destaque dentro do cenário do segmento, uma vez que "estudos demonstram que a região aparece com altas chances de descobertas de petróleo e, principalmente, de gás natural".

José Cesário Cecchi, diretor da ANP, traçou um breve histórico da exploração de gás natural no Brasil e reforçou que a previsão é que, no País, haja "uma oferta abundante de gás natural (...) e é preciso ajustar a demanda. Pra viabilizar esse mercado em território nacional, é preciso investimento para ampliar a capilaridade dessa matriz energética".

A representante do Ministério de Minas e Energia, Symone Araújo, lembrou da possibilidade de se ter, com a ampliação da exploração de gás natural no Amazonas, uma diversificação da matriz econômica regional, que tem hoje como base as atividades oriundas da Zona Franca de Manaus. A mesma opinião foi compartilhada pelo governador do Estado, Wilson Lima, que acrescentou que essa diversificação pode contribuir com a geração de emprego e renda.

O superintendente adjunto de Projetos da Suframa, Gustavo Igrejas, acredita que o que foi apresentado durante o workshop "alinha-se ao que tem proposto a Autarquia em relação à busca de novos vetores econômicos, complementares ao modelo Zona Franca de Manaus. A Autarquia tem atuado junto a entes públicos e privados da região no sentido de promover ações que alavanquem setores como o polo digital, turismo, mineração, piscicultura e bioeconomia". Igrejas ainda lembrou que o gás natural é mais limpo e tem um custo reduzido quando comparado a outras fontes energéticas, o que vem levando cada vez mais empresas do Polo Industrial de Manaus a aderir a este combustível.


Foto: Márcio Gallo



Postar um comentário

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes