Polícia Civil prende homem que usava disfarces para roubar bancos

Policiais civis da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos Defraudações (Derfd) cumpriram, na tarde de segunda-feira (04/11), por volta das 17h, mandado de prisão preventiva por roubo majorado em nome do detento do regime semiaberto, José Roque de Souza, 37, investigado por cometer roubos a duas agências bancárias da capital. Os crimes geraram prejuízo financeiro estimado em cerca de R$ 10 mil.

De acordo com Guilherme Torres, titular da Derfd, o primeiro crime ocorreu no dia 9 de setembro deste ano, a uma agência bancária situada no bairro Centro, zona sul da capital. O segundo delito aconteceu no dia 4 de outubro do mesmo ano, em outra agência, localizada no bairro Adrianópolis, zona centro sul. Ao todo, foi subtraída a quantia de R$ 10 mil, em espécie, além de três armas de vigilantes dos lugares.

“No início do ano, ele roubou um supermercado e depois os dois roubos a agências bancárias da capital. No último roubo, houve uma intervenção do vigilante, que sacou a arma para ele, mas se rendeu para evitar por em risco a vida de clientes no local. Nós investigamos mais a fundo, e chegamos através de analise à autoria do Jose Roque”, contou o delegado.

Segundo o titular da especializada, o infrator agia sozinho nas ações criminosas usando disfarces como peruca, óculos e boné. Inicialmente, ele rendia os vigilantes dos locais, subtraindo as armas de fogo deles e, em seguida, fazia com que os funcionários das agências bancárias, sob ameaça, entregassem a quantia em dinheiro.

"Ele planejava muito bem esses roubos. Entrava no local, escolhia às vezes um shopping, e lá, entrava sem peruca, sem boné, usando uma sacola como se fosse um cliente qualquer. Voltava do banheiro já vestido com peruca, óculos e boné. Depois do crime, ele pegava um taxi ou um mototáxi, chegava ao banco, realizava o roubo e sumia. Tudo sozinho”, explicou o delegado.

Torres relatou que durante as investigações em torno dos casos foi constatada a identidade do autor dos roubos. A partir disso, a autoridade policial representou à justiça, pedido de prisão para ele. A ordem judicial foi expedida no dia 30 de outubro pela juíza Lina Marie Cabral, da Central de Inquéritos do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas.

Segundo a autoridade policial, após a prisão, José Roque de Souza confirmou a autoria dos crimes e confessou que se inspirava no protagonista de uma série estrangeira para realizar o assalto a bancos.

“Após ele ser preso, foi feito o interrogatório e ele confessou, informou que se inspirava no seriado do Netflix, “La Casa de papel”, onde ele tinha o personagem “Professor” como inspiração”.

Conforme o delegado, durante as diligências foi constatado que, após um dos roubos, foi encontrada, nas proximidades da agência, uma arma de fogo usada por ele na prática do delito.

“Ele usava em todos esses crimes um simulacro. Inclusive, assim que saiu do banco, ele jogou o simulacro no telhado. Na tarde de ontem (04/11), fomos ao local que ele indicou e nós realizamos a apreensão do material”.

José Roque estava cumprindo pena de sete anos, em regime semiaberto, por três roubos a supermercados. Dessa vez, ele foi indiciado por outros três roubos.

Procedimentos – José Roque foi indiciado por roubo majorado. Ao término dos procedimentos cabíveis na Derfd, ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.


Fotos: Erlon Rodrigues / PC-AM



Postar um comentário

Postagem em destaque

Amazonas Energia será denunciada por cobranças abusivas e interrupções

Por iniciativa do vice-presidente da Comissão de Obras, Patrimônio e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa do Amazonas (CGESP/Aleam)...

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes