Chiclete de seis mil anos revela segredos de garota do Neolítico

Pesquisadores da Dinamarca conseguiram extrair amostras de DNA de um material similar ao chiclete e realizaram o sequenciamento genético da pessoa que o mascou.

Os dados obtidos no estudo ajudaram a determinar não só o sexo e diversas características físicas, mas também alguns problemas de saúde e até quais foram os últimos alimentos que ingeridos pelo indivíduo.

O tal “chiclete” era um pedaço de resina de bétula que foi encontrado durante escavações em um sítio arqueológico situado no sul do país europeu.

A datação do artefato revelou que ele remonta ao Neolítico, período em que esse tipo de resina era empregada como uma espécie de cola rudimentar na confecção de ferramentas de pedra.

O pedaço de resina, que conta com pelo menos 5,7 mil anos, foi mascado por uma menina que os cientistas batizaram de Lola. 

O genoma revelou uma garota de cabelos escuros, pele morena, olhos azuis, e que ainda não havia desenvolvido tolerância à lactose.

Os pesquisadores também encontraram vestígios do DNA de pato e de avelãs na resina, itens que provavelmente foram consumidos antes de Lola decidir mascar a resina.


Imagem: Smithsonian.com/Theis Jensen
Imagem de Lola: Smithsonian.com/Tom Björklund




Postar um comentário

Postagem em destaque

CUIDADO | Carro preto ataca em Manaus e sequestra criança de 2 anos

O sequestro do menino Erlon Gabriel, de apenas 2 anos, está deixando a sociedade amedrontada e toda a polícia mobilizada para conseguir de...

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes