Justiça absolve negro acusado de ‘racismo reverso’

João Moreira Pessoa de Azambuja, juiz da 11ª Vara Federal de Goiás, absolveu um jovem acusado de “racismo reverso” em decisão lançada no processo nesta quarta-feira (29).

O réu foi denunciado pelo MPF por racismo após publicar conteúdos considerados ofensivos a brancos em uma rede social.

Para o magistrado, no entanto, não existe “racismo reverso” porque “nunca houve escravidão reversa”, informa o portal G1.

De acordo com o juiz, “a pessoa branca nunca foi discriminada em razão da cor de sua pele”; nunca foi “impedida de ingressar em restaurantes, clubes, igrejas, ônibus, elevadores”; e “nenhuma religião de matriz europeia sofreu discriminação no Brasil, a ponto de seus praticantes serem perseguidos e presos”.

A denúncia do Ministério Público Federal (MPF) aponta que Diego Lima criou um post na rede social em julho de 2018, no qual “praticou e incitou a discriminação de raça ou cor, por intermédio do meio de comunicação social (Facebook), tendo feito reiteradas declarações pregando, com incitação ao ódio, a separação de raças, inclusive citando mulheres negras que se relacionam com homens brancos (caucasianos)”.

O jovem virou réu pelo crime de racismo em fevereiro do ano passado, mas o caso ainda não tinha ido a julgamento.


Fonte: Renova Mídia



Postar um comentário

Postagem em destaque

CUIDADO | Carro preto ataca em Manaus e sequestra criança de 2 anos

O sequestro do menino Erlon Gabriel, de apenas 2 anos, está deixando a sociedade amedrontada e toda a polícia mobilizada para conseguir de...

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes