Presidente do PMN Amazonas discute rumos do partido com diretoria nacional da sigla - O CHEFÃO DA NOTÍCIA

Breaking

Publicidade

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Presidente do PMN Amazonas discute rumos do partido com diretoria nacional da sigla

O presidente do Partido da Mobilização Nacional (PMN) no Amazonas, o advogado Marcelo Amil, visitou a sede nacional da sigla, em São Paulo, e participou de uma conversa com o presidente nacional, Carlos Massarolo. O encontro acontece oito meses antes das eleições municipais.

O PMN começa a definir suas estratégias e quadros eletivos visando também o processo eleitoral de 2022. Massarolo avaliou de forma positiva o planejamento eleitoral deste ano e o trabalho que tem sido feito pela nova diretoria no Amazonas para projeção do partido.

“Essa reunião foi muito proveitosa porque demonstrou que os objetivos estão alinhados. O PMN tem uma linha nacional que tem que ser repetida nos estados e municípios. E ficou bem claro que o rumo que o partido está dando no Amazonas e em Manaus são exatamente os rumos que o PMN pensa para o País, e está aplicando no Brasil inteiro. O alinhamento entre as duas direções é uma coisa muito positiva e que está sendo cumprida à risca pelo diretório do Amazonas”, enfatizou Marcelo Amil.

Carlos Massarolo disse que está feliz com o trabalho realizados pelos diretórios do PMN. “Eles estão construindo uma pluralidade em sintonia com a direção nacional”.

O nome de Marcelo Amil continua forte como pré-candidato à Prefeitura de Manaus para as eleições deste ano. O PMN pretende lançar uma chapa completa e avalia a possibilidade de montar uma coligação com partidos progressistas.

Movimentação do PMN

Na semana passada, a sigla no Amazonas deu um passo importante para inclusão e garantia de direitos do movimento LGBTQ+ ao criar o PMN Diversidade. Uma reunião com representantes indígenas também foi realizada na sede do partido, localizada no Conjunto Eldorado, na Zona Centro-Sul de Manaus. O objetivo é garantir o respeito e a proteção dessa população e outros grupos socialmente vulneráveis por meio de políticas públicas.


Foto: Divulgação/PMN



Nenhum comentário:

Postar um comentário