TCU desmente Zona Franca de Manaus sobre contrato de R$ 3,6 mi

O site de notícia Metropoles postou ontem, sexta-feira (31), que o Tribunal de Contas da União (TCU) divulgou que não consta em seu registro qualquer processo em relação à Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) relacionado ao contrato firmado entre a entidade e a Construtora Brilhante.

O contrato foi denunciado pelo deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), por suspeita de corrupção.


Leia o texto na íntegra:


O Tribunal de Contas da União (TCU) afirmou nesta sexta-feira (31/01/2020) que não consta em seu registro qualquer processo, recomendação ou determinação dirigida à Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) em relação ao contrato firmado entre a entidade e a Construtora Brilhante. O negócio, acordado em R$ 3.609.102,44, foi alvo de denúncia do deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), que apontou indícios de corrupção e direcionamento no negócio.

A declaração enviada pelo TCU ao Metrópoles desmente a versão da Suframa, que declarou, em nota oficial, ter atendido a uma recomendação feita pelo próprio órgão colegiado, desde 2015, para “substituir o contrato vigente que estipulava um valor mensal a ser pago independente da existência do serviço, gerando uma despesa sem sentido para a autarquia federal”.

“Não foi localizado processo no TCU que avalie o contrato que a Suframa celebrou em adesão à Ata de Registro de Preços 18/2019, nem recomendação ou determinação do Tribunal dirigida à entidade sobre essa matéria”, afirmou o tribunal.

Ramos acusa o superintendente da Suframa, coronel Alfredo Menezes, de manobrar para contratar a empresa de um amigo. O congressista sustenta que o edital foi aberto para atender diretamente as necessidades de uma ata específica, a da Brilhante.



Fonte: Metropoles



Postar um comentário

Postagem em destaque

Presidente do TCE-AM prorroga por mais 15 dias suspensão do expediente

O presidente do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), conselheiro Mario de Mello, prorrogou por mais 15 dias a suspensão do expediente ...

 
Copyright © Chefão da Notícia. Templates Designed by OddThemes