Lula comemora COVID-19: “ainda bem que a natureza criou esse monstro chamado coronavírus" - O CHEFÃO DA NOTÍCIA

Breaking

Publicidade

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Lula comemora COVID-19: “ainda bem que a natureza criou esse monstro chamado coronavírus"

Brasília - Na terça-feira (19), dia em que foram registradas mais de mil mortes de brasileiros por Covid-19, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva presidente causou espanto ao dizer que “ainda bem que a natureza criou esse monstro chamado coronavírus”. A declaração foi dada numa live da revista Carta Capital, ainda nos primeiros minutos da transmissão.

“Eu, quando vejo os discursos dessas pessoas falando... Quando eu vejo essas pessoas acharem que tem que vender tudo que é público e que tudo que é público não presta nada... Ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus. Porque esse monstro está permitindo que os cegos comecem a enxergar que apenas o Estado é capaz de dar solução a determinadas crises. Essa crise do coronavírus, somente o Estado pode resolver isso, como foi a crise de 2008”, disse Lula.

Lula criticou aqueles que defendem a diminuição do estado e as privatizações. Para o petista, o estrago produzido pela pandemia na agenda liberal do governo de Jair Bolsonaro é algo a ser comemorado.


O petista mencionou também o auxílio emergencial de R$ 600, usando como referência o presidente dos Estados Unidos, Franklin Roosevelt, e a atuação dele durante a Segunda Guerra Mundial. “Imagine quando Roosevelt teve que agir na guerra. Você acha que ele estava preocupado com o orçamento? Não! Ele tinha que fazer armas para vencer a guerra. Na guerra contra o coronavírus, eles não cumprem sequer a promessa de dar R$ 600 para as pessoas ficarem em casa e se protegerem”, comparou.

Segundo o jornal O Globo, em outros momentos da transmissão, com falas registradas no Twitter, Lula disse ainda que terá 77 anos em 2022, ano da próxima eleição presidencial, e que “não tem porque ser candidato a presidente”, uma vez que já esteve na função.

No entanto, o ex-presidente, afirmou que planeja atuar politicamente “para não deixar o país voltar a ter um presidente da ‘qualidade’ do Bolsonaro”.

Mais de mil mortes em 24 horas

O Brasil registrou na terça-feira novos recordes diários de casos e mortes por coronavírus. Pela primeira vez, o país rompeu a barreira de 1 mil óbitos contabilizados um único dia desde o início da pandemia, informou o Ministério da Saúde.

Segundo o ministério, foram 1.179 novos óbitos contabilizados, o que eleva o total para 17.971, enquanto os casos confirmados saltaram em 17.408, para 271.628.

O país já é o terceiro do mundo com o maior número de registros do vírus, atrás apenas de Estados Unidos (1.527.931) e Rússia (299.941) na contagem global.


Fonte: Alternativa Co Jp



Nenhum comentário:

Postar um comentário