'Carne estragada' – Fiscalização da Comdec flagra irregularidades em supermercados de Manaus - O CHEFÃO DA NOTÍCIA

Breaking

Publicidade

quinta-feira, 4 de junho de 2020

'Carne estragada' – Fiscalização da Comdec flagra irregularidades em supermercados de Manaus


Falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), alimentos impróprios para o consumo, carnes estragadas, péssimas condições de higiene, entre outros, foram as principais irregularidades encontradas durante as fiscalizações da Comissão de Defesa do Consumidor (Comdec) da Câmara Municipal de Manaus (CMM) nos supermercados de Manaus. Desta vez, o foco da ação foram os serviços "delivery" das grandes redes de supermercados e padarias, nas zonas Sul, Leste, Norte e Centro-Oeste da cidade.

O presidente da Comdec, vereador André Luiz (PL), afirma que o objetivo foi a verificação da qualidade dos serviços prestados ao consumidor. "Principalmente, nesse momento de combate a COVID-19, no qual as regras de utilização de EPIs são fundamentais para manter a qualidade dos produtos, até chegar às mãos do consumidor. Infelizmente, constatamos que alguns estabelecimentos não têm o cuidado necessário”, afirmou.

Impróprios para consumo

Entre as irregularidades, a equipe da Comdec também encontrou alimentos impróprios para o consumo, como por exemplo, carnes estragadas, em supermercados das zonas centro oeste e leste da cidade.

No primeiro, na Avenida Djalma Batista, o estado de acondicionamento do produto era inadequado. "Ao fazermos uma aferição de temperatura, constatamos 11ºC, quando o ideal é 4 ºC. Não havia nem prazo de validade. Solicitamos o descarte completo do produto. Além disso, o carro utilizado para o serviço "delivery" estava em péssimas condições de higiene", relata André Luiz.

O caso mais crítico foi num supermercado na Avenida Autaz Mirim, zona Leste. Enquanto os funcionários limpavam o freezer, a carne foi colocada no chão e a temperatura ambiente. "Uma prática, inaceitável. O risco de uma contaminação do produto era visível. Além da falta de cuidados no manuseio de alimentos como o peixe", afirmou o presidente da Comdec.

Fora dos padrões de segurança

Funcionários sem máscaras, ausência de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) como álcool em gel e luvas, foram algumas irregularidades constatadas pela equipe da Comdec. "Infelizmente, na maioria dos estabelecimentos, colaboradores manuseando alimentos sem a segurança adequada. Isso coloca em risco não somente eles, mas os consumidores e a qualidade dos produtos. É preciso entender que, não é por que a venda de alimentos é uma atividade essencial, que será feita de qualquer forma", explica André Luiz.

Supermercados terão que se adequar

Ao todo, oito estabelecimentos foram fiscalizados pela equipe da Comdec. Destes, quatro autuados por problemas com higiene, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e serviços de "delivery" de forma inadequada. Agora, terão um prazo de 72 (setenta e duas) horas para prestar esclarecimentos e fazer as adequações necessárias. "A maneira como estes produtos chegam ao consumidor, até mesmo antes de serem entregues, vai condicionar se ele receberá algo contaminado ou não. Por isso, nossa preocupação vai desde quando o produto sai do estabelecimento até chegar às mãos do consumidor", finalizou.

População precisa denunciar

A Comdec conta com o consumidor para denunciar possíveis irregularidades. Para isso, a comissão disponibiliza os seguintes canais de comunicação, neste momento de isolamento social:

- Email: comdec@cmm.am.gov.br
-WhatsApp: (92) 99263-3587

Nenhum comentário:

Postar um comentário