SAM GROUP ressignifica extração de minério no Amazonas com olhar para nativos - O CHEFÃO DA NOTÍCIA

Breaking

Publicidade

sexta-feira, 17 de julho de 2020

SAM GROUP ressignifica extração de minério no Amazonas com olhar para nativos

A SAM GROUP, uma empresa de mineração com atividades em ação no Brasil e no Mundo, se prepara para lançar, ainda este ano, três novos projetos no Amazonas. Com nomes que fazem referências a fauna e a flora da região, a empresa deve gerar emprego e renda para o Estados com os seguintes projetos:

- Caiman, projeto que faz referência ao Jacaretinga da Amazônia, representando a extração do Minério de Nióbio;

-Harpia - referente ao Gavião Real da Amazônia, que representa a extração de Diamantes;

-Arara Canindé, fazendo referência a uma das mais belas aves da Amazônia, na extração do Minério de Ouro”.

Os três projetos vêm sendo elaborados há bastante tempo pela SAM GROUP e sendo analisados para implementação com toda responsabilidade ambiental e seriedade possível.

Quem explica melhor sobre os benefícios que os projetos trarão para a região, é o CEO da SAM GROUP, Diego Hidalgo.

“A nossa empresa vem promover no Estado o extrativismo de um jeito diferente, com o respeito de olhar para os moradores da floresta, os homens que nela habitam, os animais, as plantas, pois todos eles vivem na floresta e devem ser respeitados”.

A IMPLANTAÇÃO E O POVO

Diego explica que, com a implantação dos projetos, a empresa não pretende interferir na realidade dos povos locais. “Sabemos que, quando a floresta é ferida ela se vinga e seus habitantes é quem paga essa conta. Isso acontece porque muitas empresas falam que os povos que ali vivem são pobres e elas prometem que a vida deles irão melhorar com a implantação de suas atividades na cidade. Porém, não se dá o verdadeiro respeito, nem sequer conhecem a realidade dos que vivem nela. Mas, como a empresa SAM GROUP nasceu no Amazonas, acredito que temos o conhecimento necessário e o respeito de como tratar o nosso povo em nossas terras”.

O CEO ressalta que, por a SAM GROUP ter conhecimento dos povos nativos, a forma de viver, a diferença dos valores, a empresa e todos seus colaboradores pretendem respeitar essas diferenças e mostrar que a economia e ecologia podem sim caminhar de braços dados, com respeito às diferenças e mostrando que o povo que habita na floresta não são pobres como tanto é dito mundo afora, eles só apresentam valores diferentes e devem ser respeitados.


“Enxergarmos que os povos da floresta apenas querem ter direitos das riquezas deixadas pelos antigos. Nessas riquezas estão: a terra, a água limpa e as suas crianças felizes. Entendemos que tudo que se destrói abaixo do solo, tudo que estiver acima sofrerá esses impactos diretamente. Com isso, não desejamos que esse modo de vida seja ameaçado pela mineração”, afirma Diego .

IMPACTO ZERO

Sobre impactos ambientais que os projetos poderão ocasionar para as famílias que vivem na região do Amazonas, Diego conclui que a companhia é um grupo de extração e beneficiamento mineral. “Não queremos que nenhuma família seja removida do local, pois trazemos projetos inovadores para que os impactos ambientais sejam quase nulos, fazendo uma mineração realmente sustentável, tornando-se viável a permanência sadia e digna das famílias na região”.


Sobre a mineradora

Nascida no Amazonas e hoje com sede em São Paulo, a SAM GROUP é uma mineração sustentável que encontra espaço aberto para o seu desenvolvimento no Brasil, como nos estados do Pará, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Bahia e Minas Gerais.

A crescente valorização dos minerais como reserva dos países ampliou a busca por fontes sustentáveis de diversas substâncias minerais, ampliando o cenário de oportunidades e a segurança para os investimentos no Setor.

Nesse aspecto, a região norte do Brasil é conhecida pela ocorrência dos mais diversos minerais entre as quais estão relacionados o ouro, diamante, tântalo, Nióbio e etc… surge como a maior beneficiária deste cenário global.

E neste cenário que o projeto Mineração SAM-AM se apresenta como uma nova solução mundial.






Nenhum comentário:

Postar um comentário