Capacitação obstetrícia é oferecida a médicos e enfermeiros de maternidades da capital e interior - O CHEFÃO DA NOTÍCIA

Breaking

Publicidade

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

Capacitação obstetrícia é oferecida a médicos e enfermeiros de maternidades da capital e interior


Em mais uma ação do novo momento pelo qual passa a Secretaria de Estado de Saúde (Susam), a Coordenação Estadual da Rede Cegonha realizará, nos dias 29 e 30 de agosto, capacitação da última turma no curso de Suporte Avançado de Vida em Obstetrícia, que será oferecido pelo Also Brasil, referência mundial em melhoria e uniformização dos cuidados maternos.

A formação é voltada em melhorar a abordagem dos cuidados oferecidos por médicos e enfermeiros da rede de urgência e emergência obstétrica das maternidades da capital e do interior do estado.

O curso integral realizado em dois dias capacitará ao todo cerca de cem profissionais, que vão receber certificação reconhecida nacionalmente ao final da formação.

Segundo a coordenadora estadual da Rede Cegonha, Loiana Alencar, o objetivo da capacitação é preparar os profissionais de saúde para que eles ofereçam sempre um melhor atendimento de urgências e emergências à população que busca as unidades da rede de saúde do estado.

“O objetivo desse curso é capacitar os profissionais para o manejo das urgências obstétricas, com vistas à redução da mortalidade materna e neonatal. É um curso de grande importância para todo profissional que trabalha nas maternidades públicas do Estado”.


Rede Cegonha – A Rede Cegonha foi uma estratégia lançada em 2011, pelo Governo Federal, para proporcionar às mulheres saúde, qualidade de vida e bem-estar durante a gestação, parto, pós-parto e o desenvolvimento da criança até os dois primeiros anos de vida.

Atualmente, a Rede Cegonha desenvolve ações em 5.488 municípios, alcançando 2,6 milhões de gestantes. Desde o lançamento da Rede, foram investidos mais de R$ 3,1 bilhões para o desenvolvimento das ações. A estratégia também busca contribuir na aceleração da redução das taxas de mortalidade materna e neonatal.

FOTOS: Divulgação/Susam

Nenhum comentário:

Postar um comentário