‘Desmatamentos e queimadas virarão questão internacional’, diz Virgílio, ao criticar política ambiental do Brasil - O CHEFÃO DA NOTÍCIA

Breaking

Publicidade

terça-feira, 18 de agosto de 2020

‘Desmatamentos e queimadas virarão questão internacional’, diz Virgílio, ao criticar política ambiental do Brasil


As fortes críticas do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, ao presidente Jair Bolsonaro, por sua inércia em ações ambientais e de saúde, ganham cada vez mais força internacional. A versão on-line do jornal inglês Financial Times desta segunda-feira, 17/8, traz um artigo do jornalista Andres Schipani, intitulado “Os indígenas amazônicos enfrentam a devastação do vírus 'invasor’”, citando o quanto a pandemia vem sendo arrasadora na região, sobretudo aos povos tradicionais da Amazônia.

O texto cita o prefeito Arthur como grande opositor ao governo federal e enfatiza suas palavras que traduzem a situação vivida na Amazônia, a qual considera genocídio, qualificando Bolsonaro como um “presidente que, simplesmente, não se importa”, descreve. O artigo demonstra a preocupação mundial com a região, o que para Virgílio o Brasil insiste em não enxergar, ignorando sua importância para o planeta.

“Esse descaso vergonhoso que Bolsonaro está tendo com a região amazônica, seja na falta de assistência em saúde ou na questão ambiental, já virou uma pauta mundial. As grandes potências irão boicotar nossos produtos ‘made in Brazil’ e isso vai afetar mais ainda a nossa combalida economia. Se o presidente acha que eu estou sozinho na defesa da região, está equivocado. O mundo já mostra a preocupação com essa falta de políticas sérias para com a Amazônia”, disse o prefeito de Manaus.

Pauta de campanha

Arthur Virgílio também usou suas redes sociais nesta segunda-feira para lembrar que o tema Amazônia já faz parte até da campanha presidencial nos Estados Unidos e foi abordado pelo principal opositor de Donald Trump, o democrata Joe Biden. O candidato afirmou em entrevista, que caso seja eleito e o Brasil não for capaz de proteger a Floresta Amazônica, ele irá buscar apoio na comunidade internacional, para defender a região.

“Quem avisa, sensato é. O candidato democrata nos EUA, Joe Biden, e a vice Kamala Harris advertiram Bolsonaro de que não hesitarão ‘em congregar o mundo na defesa do meio ambiente’. Desrespeito aos índios, desmatamentos e queimadas virarão questão internacional seriíssima para o Brasil”, publicou o prefeito de Manaus.

Um dos maiores defensores da região amazônica, Arthur Virgílio Neto incentivou a criação da campanha “SOS Amazônia”, durante o período mais crítico da pandemia em Manaus. Além de mobilizar líderes mundiais, o prefeito contou com o apoio da ambientalista sueca Greta Thunberg e de outros jovens ativistas do movimento “Fridays for Future”.

Foto – Alex Pazuello / Arquivo Semcom


Nenhum comentário:

Postar um comentário