Verão amazônico impulsiona a construção civil - O CHEFÃO DA NOTÍCIA

Breaking

Publicidade

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

Verão amazônico impulsiona a construção civil


A sazonalidade do verão amazônico aliada ao crescimento do setor imobiliário tem impulsionado as obras no segmento na capital amazonense. Na contramão dos impactos econômicos ocasionados pela pandemia, a construtora RD Engenharia continuou acreditando no potencial do mercado imobiliário de Manaus e, com planejamento, ampliou o quadro de colaboradores em 66,67% nos últimos três meses para acelerar as obras de empreendimentos verticais. O número de empregos diretos passou de 300 para 500 funcionários e com expectativa de duplicar o quadro até o final do ano.

De acordo com dados da pesquisa dos Indicadores Imobiliários Nacionais, divulgada na última segunda-feira, 24, pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Manaus está entre as cidades que teve elevação de 69,5% no número de unidades lançadas no primeiro trimestre de 2020. Além disso, a capital amazonense também está entre as cidades que apresentaram 82,6% de aumento nas vendas de unidades habitacionais lançadas.

“Numa análise cautelosa, identificamos nichos de mercado onde poderíamos atuar com a segurança de manter a empresa e expandir seu raio de atuação com a instalação de novas frentes de trabalho. Apostamos na demanda reprimida por bons produtos e investimos ainda mais na manutenção do nosso elevado padrão de qualidade. Esses fatores foram decisivos para manter os negócios em alta. O grande consumo nos levou ao reforço de nossa equipe. Estes trabalhadores foram contratados com carteira assinada e com a certeza de terem renda para alimentar e cuidar de suas famílias”, destacou o Presidente do Grupo RD, Romero Reis.

A todo vapor
Em julho deste ano, a RD Engenharia lançou, na zona Leste de Manaus, o primeiro empreendimento inteligente - o Leve Castanheiras Fase 3 - voltado para os clientes do “Minha Casa, Minha Vida”, programa do Governo federal focado na redução de déficit habitacional brasileiro a partir do oferecimento de moradias com valor acessível e de qualidade.

Com a chegada do verão amazônico, a construtora RD Engenharia está investindo de forma massiva para acelerar o ritmo de construção dos seus empreendimentos. Para isso, conforme o setor de planejamento, foi investido 12% em contratação de colaboradores em obra, bem como em tecnologias de automação e inovação.

Conforme o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Amazonas (Sinduscon-AM), Frank do Carmo Souza, o setor da construção civil foi o que mais contratou em 2020, junto ao agronegócio. “O cenário da construção civil em 2020 tende a ser positivo. O efeito pandemia trouxe uma desaceleração ao setor, mas as principais obras continuaram, haja vista que foi considerada como atividade essencial”, afirma Frank.

A segunda fase do empreendimento Leve Castanheiras conta com um efetivo com mais de 200 colaboradores contratados, com ritmo acelerado de produção, a fim de entregar as obras antes do prazo previsto. Para isso, o setor de planejamento previu, inclusive, nos cronogramas de obras o impacto das chuvas, através de otimização de serviços para que o fenômeno natural não prejudique o andamento das obras.

De acordo com o engenheiro da obra, Bruno Castro, com o sistema monolítico de construção (paredes de concreto), as obras dos apartamentos recebem mais celeridade no processo, bem como reduz a geração de resíduos e desperdícios de materiais, quando comparado às obras tradicionais, que geram até 40% de resíduos.

O Leve Castanheiras Fase 2 entregará quatro torres ainda no segundo semestre deste ano e duas torres no primeiro semestre de 2021, totalizando 384 apartamentos, com áreas que variam de 44 m² a 54 m². Ainda em novembro deste ano, também será dado início às obras do Leve Castanheiras Fase 3, que construirá 320 apartamentos, tendo como diferencial a automação por voz.


Valorização
O empreendimento trouxe significativas contribuições para o bairro Gilberto Mestrinho, localizado na Zona Leste de Manaus. Além de melhorar a paisagem do local, valorizou os imóveis das redondezas, impulsionando o pequeno varejo. “O impacto disso se reflete nas vendas dos apartamentos que já ultrapassam 95% em relação ao total de unidades habitacionais disponíveis. Trata-se de um empreendimento com diferenciais no bairro, como guarita, áreas comuns com salões de festas, churrasqueiras e espaço para família, com projeto de paisagismo diferenciado”, explicou Elias Ayres, gerente comercial da RD Engenharia.

O empresário do segmento da construção civil e imobiliário, Ricardo Benzecry, explica que não existe um percentual definido para mensurar uma eventual valorização dos imóveis do entorno de onde são construídos condomínios com infraestrutura diferenciada. “Particularmente sou da corrente que defende que toda melhoria na circunvizinha é um fator positivo e um diferencial em relação à amostragem dos imóveis que estão sendo avaliados, portanto, deve resultar sim em valorização e pode ser mensurada. Se adotarmos os critérios da engenharia de avaliação, pode-se considerar esse fator de melhorias como um fator de valorização de até 10%”, ressalta Benzecry.

Outro ponto positivo para a população, que reside no entorno de empreendimentos estruturados é o aumento da sensação de segurança. Anteriormente, o terreno baldio, onde hoje está o Leve Castanheiras, servia de abrigo para criminosos que atuavam no bairro. A partir da implantação do condomínio, diminuiu o número de crimes na região.


Mercado imobiliário
No primeiro semestre de 2019, a pesquisa do Sinduscon/AM apontou cinco lançamentos imobiliários com uma média de 1300 unidades habitacionais. No primeiro semestre de 2020, houve apenas dois empreendimentos lançados com 780 unidades. “Com a pandemia, as pessoas passaram a investir em imóveis, haja vista a busca pela qualidade de vida. Com isso, se não houver lançamento de produtos neste segundo semestre, vai faltar imóveis no mercado”, alerta Frank do Carmo Souza.

O cenário atual do mercado imobiliário é propício para novos investimentos. Frank pontua, que com a taxa de juros baixa, menor taxa Selic e inflação baixa, os clientes se sentirão motivados a adquirir imóveis ainda este ano. “Poucos municípios brasileiros aumentaram as vendas e Manaus está incluída nesse pacote, mesmo não tendo um expressivo aumento no número de lançamentos. A perspectiva é de que novos produtos sejam lançados no mercado e que as vendas continuem em alta até o final do ano”, ressalta Frank.

Nenhum comentário:

Postar um comentário