CDC/Aleam emite nota técnica e questiona Apple sobre venda de aparelho sem carregador

Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

CDC/Aleam emite nota técnica e questiona Apple sobre venda de aparelho sem carregador



Em nota técnica enviada à Apple, a Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (CDC/Aleam) questiona a fabricante americana sobre a venda de aparelhos celulares sem acessórios como fones de ouvido e fonte de alimentação elétrica (carregador). A nota esclarece, ainda, que essa nova prática de venda viola o Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Conforme notícia pública, nacional e internacional, a Apple anunciou que, a partir do lançamento do novo modelo iPhone 12, as futuras vendas dos celulares não incluiriam carregador e nem fones de ouvido, os quais deveriam ser adquiridos separadamente.

O presidente da CDC/Aleam, deputado estadual João Luiz (Republicanos), afirmou nesta quinta-feira (10), durante pronunciamento na tribuna da Casa Legislativa, que as medidas anunciadas pela Apple configuram “nítida má fé da fabricante”.

“A nova prática da empresa configura evidente violação do Código de Defesa do Consumidor. Isso porque, conforme o artigo 6º do CDC, a inclusão de carregador constitui direito básico do consumidor, uma vez que a ausência de fornecimento do item poderá impactar negativamente no acesso à garantia e proteção contratual fornecida pelo consumidor”, esclareceu o parlamentar.

João Luiz ressaltou, ainda, que a CDC/Aleam é o segundo órgão de defesa do consumidor do país a emitir nota técnica e solicitar justificativa da Apple para tais medidas.

A nota técnica da CDC/Aleam conclui que, do ponto de vista ambiental, a medida pretendida pela Apple não tem impactos ambientais relevantes, uma vez que as práticas mais sustentáveis seriam no sentido da adoção de padrões universais na indústria, como o USB-C, e fazer com que os acessórios sejam intercambiáveis, além de caracterizar propagação de publicidade enganosa e abusiva.

Por fim, a nota técnica da CDC/Aleam recomenda que a fabricante continue a fornecer o produto de forma gratuita a consumidores.

Fotos: Mauro Smith

Postar um comentário

0 Comentários