Literatura, hip-hop e bem estar-social para todos

Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Literatura, hip-hop e bem estar-social para todos



A escritora Rayane Lacerda, de 27 anos, divide a sua vida entre o lado pessoal, sendo mãe de José Heitor, de 6 anos, e de Zion Vicente, de 3, e cursando a faculdade de Ciências Sociais, na Universidade Federal do Amazonas (Ufam); o lado artístico, atuando nos movimentos literários e de hip-hop em bairros da periferia de Manaus; o lado humanitário, participando de ações sociais; e, ainda, o lado profissional, trabalhando com autofinanciamento em um escritório financeiro, Adelino Consultoria, onde é gerente de vendas.

“Eu consigo dar conta de tudo porque faço uma organização na minha agenda pessoal, de eventos e de trabalho. Além disso, as atividades que eu participo nos movimentos sociais e artísticos têm equipes que trabalham sintonizadas para tudo dar certo, e os meus filhos também vão comigo porque nesses projetos também há atividades específicas para crianças, com brincadeiras infantis, rua de lazer, gincanas, rodas de bate-papo e diversas outras ações”, resume Rayane.

Ela conta que é ativista dos movimentos sociais voltados para a cultura hip-hop desde 2011 e que o seu despertar para a arte de escrever aconteceu quando ela participou de um projeto intitulado “Batalha de Poesia Slam”, criado por Halaise Asafe do movimento Marginaletrandos. “Foi a partir desse evento que eu consegui me apresentar e me expressar do jeito que eu queria”, conta a jovem cronista e poetisa.

Ações sociais e culturais – Paralelamente ao trabalho cultural desenvolvido pelos coletivos, grupos e ações que Rayane participa, são realizadas também atividades humanitárias, como distribuição de sopa e cestas básicas de alimentação, entre outras. Também são realizadas ações de incentivo à leitura e protagonismo juvenil dos 13 aos 18 anos.

A jovem escritora possui um texto publicado na revista online “Sirrose”, cujo título é "O estupro de Josefina”, que aborda o tema da violência doméstica contra a mulher. Também possui um fanzine intitulado “Versos Sujos” sobre poesia erótica, que foi bem recebido por amigos e outros artistas a quem a cronista e poetisa apresentou seu trabalho.

Atualmente, Rayane atua nos projetos culturais da Família Mandala, do MHC – Movimento Hip-Hop Crews e do Arte no Beco. Ela também já se apresentou em alguns eventos culturais realizados em bairros periféricos da cidade, como “Todas São Manas”, “Jaraqui Psicodélico”, “Batalha de Poesia Slam com os Marginaletrandos.

“Todo esse trabalho que os coletivos e movimentos realizam não conta com recurso financeiro ou patrocinadores. Em geral, todos os participantes contribuem e também recebem doações. É dessa forma, totalmente independente, que esses trabalhos são realizados em bairros como Terra Nova, Compensa, Cidade Nova, Riacho Doce, Educandos e outros”, explica.

Rayane na fila do pão – A trajetória de Rayane Lacerda é o foco da entrevista que será exibida nesta segunda-feira (21/12) no programa “Quem é você na fila do pão?”, apresentado pela personagem Filó, a Básica, interpretada pelo ator e diretor Paulo Queiroz. O programa é exibido no Instagram (@quemevoce.nafiladopao), Facebook (Quem é você na fila do pão?) e YouTube (Quem é você na fila do pão?). Gabriela Barbosa participa como entrevistada na categoria Liteeratura.

O programa de entrevista integra o projeto cultural “Quem é você na fila do Pão? – Edição Norte-Sul/Leste-Oeste”, concebido por Paulo Queiroz. A iniciativa foi contemplada na Lei Aldir Blanc, no edital do Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2020, na categoria Teatro, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) da Prefeitura de Manaus.

Madrinha artística – No projeto “Quem é você na fila do Pão? – Edição Norte-Sul/Leste-Oeste”, Rayane Lacerda tem como madrinha artística a escritora Márcia Antonelli, que apresenta o programa “Literatura da Gente” nas redes sociais. Marcia Antonelli nasceu em Manaus, é professora e escritora independente e já produziu diversos contos, crônicas, novelas e resenhas.

Equipe técnica do projeto – A equipe técnica do projeto é composta por Paulo Queiroz (direção e intérprete de Filó, a Básica), Narda Telles (produção), Denys Cauper (assistente de produção), Thiago Queiroz (assistente de produção), França Viana (assistente de produção), Alê Ferraz (design e identidade visual), Chamel Flores (cinegrafia, fotografia e edição de imagens), Eugênio Lima (maquiagem), Jonatas Sales (figurinos), Cleide Monteiro (costureira) e Guilherme Gil (assessoria de comunicação).

Fotos: Divulgação


Postar um comentário

0 Comentários