Conecte-se Conosco

Política

Após gastos com picanha e cerveja, congressistas querem iniciar investigação contra as Forças Armadas

Publicado

em

Deputados federais do PSB protocolaram uma representação na PGR (Procuradoria Geral da República) na qual apontam possível irregularidade em gastos das Forças Armadas com a compra de grandes quantidades de cerveja e carne bovina do tipo picanha e carvão vegetal em 2020, ano de pandemia e crise econômica.

Dados do Painel de Preços do Ministério da Economia mostram que os comandos das Forças Armadas compraram 80.016 unidades de cerveja e 714.700 kg de carne bovina do tipo picanha somente no ano passado.

A maioria dos processos de compras desses produtos seguiu o procedimento da licitação.

A denúncia é assinada pelos deputados Elias Vaz (PSB-GO), Alessandro Molon (PSB-RJ), Denis Bezerra (PSB-CE), Lídice da Mata (PSB-BA), Camilo Capiberibe (PSB-AP), Bira do Pindaré (PSB-MA) e Vilson da Fetaemg (PSB-MG), e foi movida semanas após a imprensa revelar dados sobre os gastos do governo federal com comida.

Na compra de 80.016 cervejas, foram 7.304 unidades adquiridas por dispensa de licitação. Nos gastos com carnes, de 76 processos administrativos para a compra de 714.700 kg, apenas 3 foram realizados por dispensa de licitação.

Em nota, o Ministério da Defesa alega que a representação tem como base reportagem veiculada na imprensa, “com informações absolutamente equivocadas” sobre gastos do governo com alimentação.

Os gastos com leite condensado viralizaram nas redes sociais. Apesar do alto valor, o gasto foi menor que o registrado em 2019, quando a União pagou R$ 29,7 milhões no produto.

Conteúdo: Poder360

Foto: Reprodução