Conecte-se Conosco

Amazonas

Deputados do Amazonas criticam medida de Bolsonaro que afeta o PIM

Publicado

em

O decreto do governo Bolsonaro de redução gradativa do imposto na importação de bicicletas que atualmente é de 35%, e que até o final do ano será reduzido gradativamente para  30% em março, 25% em julho e 20% em dezembro de 2021, repercutiu na manhã desta quinta-feira, 18, na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

O deputado Serafim Corrêa (PSB) foi o primeiro a se manifestar contra a medida do governo federal que deve prejudicar 5 mil pessoas, com empregos diretos e indiretos gerados pelas fábricas de bicicletas no PIM.

“O presidente (Jair Bolsonaro) foge do padrão ao anunciar a mudança da alíquota de importação de bicicletas sem camisas nas suas redes sociais e isso é marketing”, criticou.

Serafim afirmou que o decreto do governo federal de reduzir a alíquota do setor de bicicletas vai favorecer a China e prejudicar a empresa brasileira.

“É lamentável isso acontecer contra a Zona Franca de Manaus e gerar empregos na China. Vários parlamentares do Amazonas já se manifestaram. Isso prejudica a ZFM e gera uma instabilidade jurídica”, questionou o deputado.

Dermilson Chagas (Podemos) também foi na esteira do colega e criticou o presidente Bolsonaro. Dermilson disse que não é a primeira vez que ele (Bolsonaro) ataca a ZFM.

“A partir do momento que o líder maior se porta dessa forma, corta a esperança de empresas que viriam pra cá, prejudicando 4 milhões de habitantes que moram nesse estado”, afirmou.

Álvaro Campelo (PP) também se manifestou contra o decreto. “Sei que já existe uma movimentação da bancada do Amazonas liderada pelo senador Omar Aziz para apelar pela sensibilidade do ministro Paulo Guedes. Nós precisamos nos posicionar  e emitir uma nota tratando do assunto e dizendo que não concordamos com essa medida que vai ser letal para o nosso Polo Industrial”, avaliou.

Alessandra Campêlo (MDB) falou da importância do Polo Industrial de Manaus na preservação da floresta amazônica e criticou a medida que vai prejudicar 5 mil famílias.

“Temos uma bancada de deputados pequena, mas aguerrida e dentro dessa bancada temos o vice-presidente da Câmara (Marcelo Ramos) que deve se posicionar”, concluiu.

Os deputados Cabo Maciel (PL) e Fausto Júnior (MDB), também se manifestaram sobre o tema.

Augusto Costa, para O Poder

Foto: Divulgação