Conecte-se Conosco

Política

Bolsonaro e Pazuello desafiam Justiça e mandam comprar mais hidroxicloroquina

Publicado

em

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da saúde Eduardo Pazuello desafiam Justiça e mandam comprar mais hidroxicloroquina. Ou seja, o Ministério da Saúde abriu um chamamento público em 17 de fevereiro, convocando empresas com interesse em fornecer vários medicamentos.

Nesse sentido, o governo inclui a hidroxicloroquina. Segundo o Uol, o documento é assinado por Marcelo Batista Costa, coordenador geral de Aquisições de Insumos Estratégicos para Saúde Substituto.

Dessa forma, o uso do medicamento para malária no tratamento e prevenção da covid-19 é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, apesar de não ter comprovação científica.

Além de não haver qualquer comprovação científica benéfica do efeito do medicamento no tratamento e prevenção da covid-19, a cloroquina e a hidroxicloroquina têm, sim, efeitos colaterais, que variam de acordo com o organismo de cada pessoa.

Falta vacina

Enquanto o governo federal se esforça para comprar o medicamento, o jornal Folha de S.Paulo revelou na última quarta-feira (17) que ao menos cinco capitais já estão sem doses o suficiente para completar a primeira fase de vacinação.

Como resultado da insistência de Bolsonaro, no fim de novembro de 2020, o Ministério da Saúde distribuiu toda a cloroquina disponível a estados e prefeituras.

Até novembro, a pasta adquiriu e distribuiu todos os 5,8 milhões de comprimidos de cloroquina obtidos. O Ministério justificou que isso foi feito por causa dos pedidos feitos por prefeituras e governos estaduais.

Leia mais no Uol