Conecte-se Conosco

Amazonas

Marcelo Ramos representa o Amazonas no CENTRÃO

Marcelo Ramos caminha para defender as principais teses do centrão na presidência de Arthur Lira, condenado em segunda instância.

Publicado

em

O primeiro vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM) é, talvez, o membro da bancada do Amazonas mais fiel as pautas do grupo político denominado “centrão”. Não poderia ser de outra forma, para se manter em evidência, Ramos precisará seguir a cartilha de Arthur Lira (PP-AL) que está alinhado ao Palácio do Planalto nesse momento.

Marcelo Ramos tende, a partir de agora, a controlar suas palavras quando o assunto for o Presidente Jair Bolsonaro. Um bom exemplo foi seu posicionamento a respeito dos decretos do Planalto sobre o uso de armas:

Um dia depois, o Presidente da Câmara Arthur Lira (PP-AL) saiu em defesa do Planalto:

“Ele não invadiu competência, não extrapolou limites já que, na minha visão, modificou decretos já existentes. É prerrogativa do presidente. Pode ter superlativado na questão das duas armas para porte, mas isso pode ser corrigido”.

Ramos esta semana, presidiu as sessões que discutiram a chamada “PEC da Impunidade”, pauta de alto interesse do centrão e de Arthur Lira (um dos líderes do grupo), e fez mais, defendeu abertamente a proposta:

“Em relação a deputados que julgam a PEC, como PEC da impunidade, é uma absoluta injustiça. Acho que alguns, por dificuldade de compreensão técnica do conteúdo do texto, e outros, porque estão menos preocupados em preservar a independência do parlamento, e mais preocupados em ganhar likes na internet.”

Marcelo Ramos não é nenhum bobinho, ele sabia muito bem que a proposta dava uma super proteção ao parlamentar, transformando o Congresso Nacional, em alguns casos, em uma delegacia. Deputados, senadores e juristas fizeram duras críticas ao texto, sendo este o original ou o substitutivo. Entre a opinião de Marcelo Ramos e Janaina Paschoal, ficamos com Janaina Paschoal: